Chegamos de trem em Praga na tarde do dia 13 de junho e, depois de fazermos check in no nosso hotel, fomos em busca de alimento. Fomos caminhando até o restaurante escolhido: o OLIVEIRA, que acabou se tornando um dos nossos favoritos da viagem! Lá, comemos uma deliciosa tábua de frios, bolinho de bacalhau, e pasteizinhos de nata! Este restaurante ficava a apenas 15 minutos do nosso hotel, numa área mais residencial da cidade, no sentido oposto da Cidade Velha.

IMG_5185

No dia seguinte, demos início aos nossos passeios um pouco tarde, pois precisávamos primeiro lavar nossas roupas (mala compacta tem dessas coisas!). Por volta de meio dia, fomos caminhando para a Cidade Velha, e paramos no Svejk do Hotel Liberty. Lá, pedimos um joelho e uma costela de porco, e percebemos que foi um exagero de comida!!

De lá, fomos andando para o Castelo de Praga, passando pela Cidade Velha (Stare Mesto), parando pra admirar a Torre da Pólvora (Prasná Brána), e caminhando pela praça da Cidade Velha (Staromestske Namesti) onde está o Relógio Astronômico (Orloj), e pela Ponte Carlos (Karluv Most). O Relógio Astronômico está em obras, mas ainda assim é possível apreciar sua beleza!

Na Ponte Carlos, caminhamos vagarosamente, tanto para apreciar as belíssimas estátuas e a vista incrível, como para acompanhar o ritmo dos inúmeros turistas que lotavam a ponte! Era difícil até de andar de tanta gente acumulada no mesmo lugar!

Fizemos uma paradinha estratégica no Starbucks e caminhamos um pouco por Malá Strana. De lá, fomos caminhando até a Igreja de Nossa Senhora Vitoriosa (Chrám Panny Marie Vítezné) e que era o lugar que eu mais queria conhecer na cidade. E que emoção tão grande estar diante do Menino Jesus! E emoção maior ainda foi ter encontrado também Nossa Senhora Aparecida! Por conta dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, várias igrejas pelo mundo estão expondo a imagem da Nossa Mãe, e eu só descobri isso quando estava lá em Praga. Sou incapaz de descrever tanta emoção!

Continuamos nossa caminhada até o Castelo de Praga (Prazsky head) e subimos uma longa escadaria até chegarmos lá em cima e descobrirmos que o Castelo é, na verdade, um grande complexo que abriga a Catedral de São Vito (Katedrála Sv. Víta), a fonte de Kohl (Kohlova kasna), o Antigo Palácio Real (Stary královsky palác), etc. Nós já estávamos cansados e optamos por fazer o passeio só pelo ambiente externo, mas, se algum dia voltarmos a Praga, vamos nos programar para ir pra lá mais cedo e fazer as visitas aos museus. Pra mim, o mais difícil mesmo foi descer aquela escadaria toda!

Voltamos andando pro hotel calmamente, o que ocupou mais quase 1 hora do nosso dia. Ao finalmente chegarmos ao hotel, estávamos tão esgotados que decidimos experimentar a comida do restaurante que tinha lá mesmo, e foi uma boa surpresa ver que o cardápio tem ótimas opções com preços atrativos.

Na quinta feira, acordamos dispostos a explorar os outros cantinhos de Praga que ainda não tínhamos conhecido, e começamos pela manhã caminhando até o monumento de Franz Kafka (Socha Franze Kafky). Antes de chegarmos a este monumento, passamos por uma pequena feira. Seguimos em direção ao bairro judeu, caminhando por suas ruas estreitas e aproveitando para descobrir sob o sol escaldante as belezas daquela região.

De lá, fomos até o Muro de John Lennon (Lennonova zed), passando novamente pela Ponte Carlos e enfrentando mais uma vez uma multidão de turistas. O Muro de John Lennon está em constante mudança, já que todos que passam por lá podem deixar sua marca. Achei um lugar emocionante, até porque tinha um rapaz tocando IMAGINE bem na hora em que chegamos por lá e eu fiquei cantando junto!

Decidimos almoçar no Malostranska Beseda Pilsner Urquell Original Restaurant, onde degustamos a famosa cerveja tcheca. Eu optei por almoçar uma salada, porque tava calor demais pra comer qualquer outra coisa.

Depois do almoço, caminhamos um pouco mais por Mala Strana, tomando novamente o caminho do hotel com tranquilidade, parando na livraria Kanzelsberger para comprar meu souvenir favorito: lápis do Krteček, uma toupeira! Este personagem, criado por Zdenek Miler em 1957, era muito popular principalmente nos países da Europa Central mas também na Rússia, Croácia, China, entre outros. Eu nunca tinha visto esse desenho, mas em todos os lugares de Praga podíamos ver bonecos, brinquedos e outros objetos diversos dessa toupeira fofa. E, quando voltamos pra Armênia, descobri que esse desenho também fez sucesso por aqui na época da União Soviética! Mais uma vez, jantamos no nosso hotel, recuperando nossas forças para encarar mais um dia de viagem de trem que viria no dia seguinte!

One thought on “Praga a pé em 2 dias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s