Croácia Europa Turistando & Viajando

O centro histórico de Pula

Nossas aventuras da road trip continuaram na região da Ístria, que é dividida entre Itália, Croácia e Eslovênia. Por lá, nossa primeira parada foi Pula, a charmosa cidade do lado croata da região. A península da Ístria é a maior península no mar Adriático, com cerca de 3600 km², localizada entre o Golfo de Trieste, os Alpes Dináricos e o Golfo de Carnaro. A península já pertenceu aos impérios Romano, Bizantino e Austro-Húngaro, depois fez parte do território italiano no pós-Primeira Guerra Mundial, e mais tarde foi incorporada à antiga Iugoslávia no pós-Segunda Guerra. A maior parte da Ístria pertence à Croácia, e uma pequena área – que corresponde às cidades costeiras de Izola (Isola), Portorož (Portorose), Piran (Pirano) e Koper (Capodistria) – fica no território da Eslovênia, enquanto uma parte minúscula da península (as comunas de Muggia e San Dorligo della Valle) está em território Italiano.

Titov Park

IMG_4976

No Parque Tito em Pula, muitas estátuas e bustos prestam homenagem aos heróis nacionais que faziam parte do Movimento de Libertação Nacional, e que lutaram contra o fascismo na região de Istria. A peça central do Parque Tito é um impressionante monumento do escultor Vanja Radauš em homenagem aos soldados mortos. Além das homenagens aos partigiani, encontramos ali uma grande maquete da cidade.

Templo de Augustus e o Forum

IMG_4977

Além do templo dedicado à Tríade Capitoline no Fórum Romano de Pula, havia outros dois templos, mas o único visível hoje em dia é o Templo de Augustus, dedicado ao imperador romano de mesmo nome. Este templo foi construído em algum momento da vida de Augustus, o primeiro imperador romano, entre 27 a.C. e 14 d.C. O Forum, uma praça central da antiga e medieval Pula, está localizado na parte ocidental da cidade e foi construído durante o século I a.C. e seguia as estruturas de qualquer outro fórum romano dedicado à Tríade de Júpiter, Juno e Minerva. Além do templo centra, havia outros dois templos laterais no Fórum de Pula: o Templo de Augustos é o único que se mantém integralmente preservado, enquanto do outro só podemos ver a parede do fundo. Tal parede foi usada durante a construção da nova sede da prefeitura. O segundo templo, idêntico ao preservado Templo de Augusto, foi construído no mesmo estilo e era chamado Templo de Diana; originalmente dedicado à deusa Roma e ao Imperador Augustus, o templo foi erguido entre os anos 2 a.C. e 14 a.C. Ao longo da história, o templo teve suas funções modificadas:  primeiro, foi usado como uma Igreja Cristã; depois, como depósito de grãos; no século XIX, foi transformado em um museu de monumentos de pedra, até que foi bombardeado durante a Segunda Guerra Mundial e, então, completamente destruído. O Templo foi reconstruído entre 1945 e 1947, sendo restaurada sua função de lapidário.

Arco Triunfal dos Sergii

O Arco dos Sergii, um antigo arco do triunfo romano em Pula, conhecido também como Portão Dourado, foi erguido em comemoração aos três irmãos da família Sergii, uma poderosa família Romana que tinha mantido seu poder e glória por muitos séculos. Foi chamada Porta Aurea (ou Portão Dourado) por conta da decoração no topo do arco, que dava apoio às muralhas da cidade. O portão e as muralhas foram destruídas no século XIX quando foi adotado um novo plano urbanístico para a expansão da cidade. O Arco Triunfal é um exemplo maravilhoso das conquistas arquitetônicas da engenharia romano-helênica, com 8 metros de altura, erguido em algum momento entre os anos 29 e 27 a.C. Hoje, o Arco dos Sergii fica no centro da Praça Portarata.

Basílica Santa Maria Formosa

DSC01044

Localizada ao sul do centro histórico, a Basílica Santa Maria Formosa é um dos mais significativos monumentos Cristãos da arte e arquitetura Bizantina na região da Istria, e também em toda a Croácia. A Basílica foi construída no século VI. A Basílica Santa Maria Formosa ficou destruída depois do incêndio de 1242, quando os venezianos conquistaram Pula. Ao final do século XVI, a Basília estava em ruínas.

Porta Gemina

 

Pula era cercada por muralhas, com cerca de 10 portões para a entrada na cidade, e um dos poucos portões ainda preservados é a Porta Gemina, bem como parte da muralha no entorno. A Porta Gemina fica na Praça Giardin, e ganhou este nome por conta de suas duas aberturas semi-circulares que conduziam à cidade. Estes arcos/portões foram construídos entre os séculos II e III. Hoje, ao atravessar a Porta Gemina, encontramos o Museu Arqueológico, o Castelo e o pequeno Teatro Romano.

Pequeno Teatro Romano

DSC01098

A arquitetura e as ruínas de Pula atestam para o excepcional desenvolvimento cultural da cidade nos tempos antigos, confirmados pelo coliseu de Pula e dois teatros. O Grande Teatro Romano ficava fora das muralhas da cidade, e infelizmente não foi preservado. Por sua vez, o chamado Pequeno Teatro Romano, localizado na colina abaixo do Castelo, ainda está razoavelmente preservado; na Antiguidade, o teatro ocupava uma área maior, e estima-se que sua capacidade era de 4 a 5 mil espectadores, correspondendo à população de Pula naquela época.

Portão de Hércules

DSC01099

O Portão de Hércules em Pula fica entre duas torres (provavelmente medievais). Com uma arquitetura modesta, foi erguido com blocos de pedra acima dos quais, embora seja difícil de notar, está cravada a cabeça de Hércules com sua barba e cabelo encaracolado. É possível que tenha sido uma marca da cidade, como atesta o nome completo da Pula Romana: Colonia Iulia Pollentia Herculanea. Hoje, este portão marca a entrada da área onde se concentra a Comunidade Italiana em Pula.

Advertisements

One comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s