A cidade velha de Salzburgo

Salzburg é mais do que a “cidade de Mozart” e sede do Festival de Salzburg. A cidade, que está na lista de Patrimônio da Humanidade da UNESCO, abriga atrações turísticas que permitem ao visitante não só conhecer a rica história de Salzburg mas também surpresas fascinantes a cada esquina.

IMG_5382

Mozart & pequeno Mozart!

Além da Hohensalzburg Festung, as principais atrações turísticas de Salzburg são os museus dedicados a Mozart, a rua Getreidegasse e o Palácio Hellbrunn.

A arquitetura da rua Getreidegasse é caracterizada por belíssimos portais, bem como por janelas que vão diminuindo a partir do primeiro piso.  As casas mais antigas costumam estar decoradas com importantes datas da sua história, nomes de seus antigos donos e até mesmo com os olhos de Deus. Outro atrativo para os turistas é o local de nascimento de Mozart, que fica no número 9 da Getreidegasse.

IMG_5508

O Palácio Mirabell foi construído em 1606 pelo príncipe-arcebispo Wolf Dietrich, para sua amada Salome Alt. Hoje, o palácio Mirabell abriga a administração da cidade, inclusive o escritório do prefeito de Salzburgo. Os jardins de Mirabell foram completamente re-imaginados sob a administração do arcebispo Johann Ernst von Thun em 1690. As formas geométricas típicas do período barroco ainda são claramente visíveis.

Já o palácio de Hellbrunn tem encantados a todos os seus visitantes nos seus mais de 400 anos de história. Markus Sittikus, príncipe-arcebispo de Salzburg nos anos 1600, planejou um oásis de prazer e diversão como nunca visto antes. Esta residência de verão foi construída em tempo recorde, entre 1612 e 1615. Seu arquiteto, Santino Solari, que também idealizou a Catedral de Salzburg, acabou criando um dos mais magníficos prédios do final do período renascentista nos Alpes. Os amplos parques e jardins do Schloss Hellbrunn são parcialmente naturais e parcialmente modificados por técnicas de paisagismo.

A Fortaleza de Hohensalzburg em Salzburgo

A Fortaleza de Hohensalzburg está localizada em Festungsberg, acima dos rooftops do distrito histórico barroco de Salzburgo. Este é o maior castelo totalmente preservado da Europa Central.

IMG_5546

No ano de 1077, o arcebispo Gebhard mandou construir a fortaleza e mudou a cidade de Salzburgo para sempre. Nos anos seguintes, seus sucessores deram continuidade ao desenvolvimento arquitetônico da fortaleza. O complexo adquiriu a aparência que conhecemos hoje sob a administração do arcebispo Leonhard von Keutschach, em 1500. O propósito inicial da fortaleza era proteger o principado e os arcebispos de ataques hostis e, em todos os seus anos de existência, nunca foi tomada por tropas inimigas.

A Fortaleza de Hohensalzburg tem vários museus. O Museu da Fortaleza tem uma exibição histórica focada na vida da corte conduzida pelos arcebispos. Os outros museus (Marionette Museum, Altes Zeughaus e Museum do Regimento de Rainer) convidam os visitantes a embarcar numa viagem ao passado.

Também é possível visitar os aposentos reais, que compreendem o Salão dos Príncipes, a Câmara Dourada e o Salão Dourado. Os móveis de todos estes aposentos são originais e nunca foram modificados desde 1501/1502.

O ingresso que dá direito a visitar todos os museus e aposentos reais da Hohensalzburg Festung custa €16,30 por adulto.

As principais atrações do centro de Liubliana

O centro de Liubliana é uma gracinha e tem muitas atrações para além do castelo histórico.

IMG_5527

A Praça Preseren é a principal praça de Liubliana, dedicada ao grande poeta eslovênio Dr. France Preseren. A estátua de Dr. Preseren fica no centro da praça, rodeada por diversas construções do início do século XX. A cidade antiga, o mercado e o rio ficam próximos da praça e também da Ponte Tripla de Plecnik.

A Igreja Franciscana, construída pelos Agostinianos, é um dos principais símbolos da cidade de Liubliana por conta da sua localização central na praça Preseren e sua cor inconfundível.

As três pontes de Liubliana (Tromostovje) são provavelmente as pontes mais conhecidas da cidade, e também as mais bonitas. As Tromostovje constituem um popular ponto de encontro para locais e turistas, reunindo também muitos músicos e artistas de rua.

IMG_5355

A ponte do Dragão é um dos pontos turísticos mais conhecidos de Liubliana, já que o símbolo da cidade é exatamente o dragão. Quatro dragões verdes, dois de cada lado, foram esculpidos como guardiões da ponte e da própria cidade. Esta ponte foi construída em 1901, dedicada a Franc Josef, Imperador de Hapsburg.

IMG_5354

O principal mercado de Liubliana é o Mestna trznica (ou, em bom português, mercado municipal), onde podemos encontrar frutas e verduras frescos, souvenires, artesanatos, pães artesanais e muitos artistas de rua.

IMG_5453

A Catedral de São Nicholas é a principal igreja de Liubliana, e também a maior da cidade. Por conta da sua altura, suas duas torres de sinos e sua doma é possível vê-la a partir de diversos pontos da cidade. Esta Catedral fica na Praça Vodnik trg, próxima ao mercado Central e do outro lado da Tromostovje.

Neboticnik, ou “arranha-céu” é um dos prédios mais conhecidos e icônicos de Liubliana. Quando ele foi construído em 1933, Neboticnik era o prédio residencial mais alto da Eslovênia, e o 9˚ prédio mais alto da Europa. Hoje, Neboticnik é um ponto de referência na cidade, mantendo-se como prédio residencial com algumas lojas e escritórios nos andares mais baixos. Além disso, Neboticnik abriga um restaurante e um sky bar no seu topo.

O castelo de Liubliana

O Castelo de Liubliana (Ljubljana Grad), que tem cerca de 900 anos, é a principal atração da cidade, e fica localizado numa colina. Pode-se observar a cidade pela Torre de Observação e pelas muralhas do castelo, ao passo que o castelo abriga diversas exibições, entre elas um museu que conta a história da Eslovênia e um museu de marionetes, além de muitos salões históricos como a Capela de São Jorge.

É fácil subir até o Castelo de Liubliana usando o teleférico, e o ingresso que inclui esta modalidade de transporte custa €13 por adulto, ou €9 para crianças, adolescentes até 18 anos, estudantes, idosos e grupos de mais de 15 pessoas. Há também um ingresso promocional de €31 para famílias com até 2 adultos e pelo menos uma criança/adolescente de até 18 anos. O Castelo fica aberto diariamente, e seu horário de funcionamento varia de acordo com o mês do ano.

Praça da República em Liubliana

A Praça da República (TRG Republike) é o centro político da Eslovênia, uma vez que fica localizado nesta praça o edifício que abriga o Parlamento Esloveno.

IMG_5359

Esta praça foi erguida em 1960, com design do arquiteto Edvard Ravnikar, no local outrora ocupado pelos enormes jardins do Mosteiro Ursuline.

No centro da praça, foi construída uma grande plataforma para facilitar grandes reuniões públicas, e esta mesma plataforma serviu de palco para o anúncio da independência da Eslovênia em 25 de junho de 1991.

Ao seu redor, além do edifício do Parlamento Esloveno, encontra-se o edifício TR3 e os escritórios do Ljubljanska banka, o centro cultural Cankarjev dom, e a loja de departamento Maximarket.

IMG_5356

O principal monumento da praça é o Monumento à Revolução (Spomenik Revolucije), inaugurado em 1975 e idealizado por Drago Tršar.

Metelkova e arte em Liubliana

Os 7 prédios de Metelkova, outrora sede militar do exército do Império Austro-Húngaro e, posteriormente, sede eslovena do Exército Nacional da Iugoslávia, estão ocupados por arte desde o começo da década de 1990.

IMG_5353

O Centro Cultural Autônomo de Metelkova (em eslovênio, Avtonomni kulturni center Metelkova mesto), também conhecido pela sigla AKC, fica no centro da cidade de Liubliana com uma área total de 12.500m² ocupada desde setembro de 1993. A área recebeu esse nome por conta da rua Metelko (em eslovênio, Metelkova ulica) que, por sua vez, homenageia o padre da Igreja Católica Romana Fran Metelko.

A história de Metelkova como um centro de arte começa em 25 de junho de 1991, com a declaração da independência da Croácia e da Eslovênia. Esse data é considerada uma das muitas que marcam o fim da República Socialista Federativa da Iugoslávia. Depois da dissolução da Iugoslávia naquele ano, o Exército Iugoslavo deixou Metelkova, que rapidamente se tornou um brownfield militar com seus quartéis abandonados. (Browfield é um termo usado para definir áreas com potencial de desenvolvimento e que antes eram usadas para fins militares.)

 

 

Em 1991, a Rede de Metelkova, formada por 200 organizações jovens e alternativas, pediu à prefeitura de Ljubljana que permitisse o uso daqueles quartéis para fins pacíficos e criativos. A prefeitura, então, cedeu à Rede de Metelkova a permissão formal de usar a área; entretanto, tais promessas não foram de fato cumpridas, e a prefeitura não queria que a área fosse efetivamente ocupada. Esse papel ambíguo se manteve por muitos anos, até que em 1993 Metelkova passou a ocupar ilegalmente a região, sendo redefinida como uma zona autônoma e auto-organizada em 1995. Desde então, o centro se tornou um lugar de aceitação para as minorias, embora ainda existam ameaças por parte das autoridades municipais e do Estado.

Outro exemplo da ambiguidade das ações do Estado Esloveno e da prefeitura com relação à Rede de Metelkova e à região são os subsídios da administração municipal para a construção de um pequeno abrigo de verão, conhecido como Mala Šola (ou Pequena Escola). Este abrigo, planejado e construído em 2001 por voluntários, foi imediatamente classificado como abusivo. À construção, seguiu-se o pedido de demolição, imediatamente depois de outro escritório municipal denunciá-lo para um órgão governamental. Depois de muitas tentativas frustradas, o prédio foi enfim demolido em 2 de agosto de 2006. Embora haja planos para reconstruí-lo, o projeto não saiu do papel.

Nos anos 2000, novos atores se envolveram na zona autônoma de Metelkova como, por exemplo, a comunidade LGBT, outras organizações não-governamentais e até mesmo a UNESCO. Embora não tenha ajudado Metelkova a receber seu status legal, a área foi reconhecida como Patrimônio Cultural Nacional em 2005.

Tivoli Park em Liubliana

O Parque Tivoli é o maior e mais bonito parque de Liubliana, que se estende até o centro da cidade e foi idealizado em 1813 pelo engenheiro francês Jean Blanchard. Blanchard uniu os parques que ficavam em torno das Mansões Podturn e Cekin, criando uma área de cerca de 5km².

IMG_5123

Cruzando o parque Tivoli, encontramos três largas vias de pedestres margeadas por muitas castanheiras e ornamentadas por flores, inúmeras árvores e numerosas estátuas e fontes, com a área do parque se misturando às colinas de Rožnik.

Jakopičevo sprehajališče (ou Passeio Jakopič, ou mesmo Jakopič Promenade), idealizado pelo arquiteto Jože Plečnik no centro do parque Tivoli, é uma área popular para a exibição de grandes fotografias e fica aberto o ano inteiro com exposições temporárias.

Desde a sua idealização em 1813, o Parque Tivoli passou por diversas expansões e projetos de re-paisagismo, incluindo a construção de um lago para peixes na margem oeste em 1880. Próximo ao lago, fica localizado um pequeno jardim botânico com uma estufa de vidro, cuja administração foi confiado ao Jardim Botânico de Liubliana em 2010, quando completou 200 anos. Dentro da estufa de vidro, há uma exibição permanente de plantas tropicais e carnívoras. Do outro lado do lago para peixes, há um playground infantil, que foi construído em 1942 e renovado em 1994.

IMG_5125

Entre 1921 e 1939, um extensivo projeto de atualização foi colocado em prática pelo arquiteto Jože Plečnik, que idealizou a ampla Jakopič Promenade, que termina aos pés da escadaria que conduz à Mansão Tivoli, e que homenageia o pintor impressionista esloveno Rihard Jakopič.

Em 1929, foi construída a piscina externa Letno Kopališče Ilirija em uma das pontas do parque Tivoli, com design de Stanko Bloudek. Quando foi construída, era a piscina mais moderna de todo o Reino da Iugoslávia. Em memória a Bloudek, um parque desportivo foi construído em frente à Mansão Cekin (Cekinov grad), incluindo quadras de tênis e basquete, um rink de patinação e skate, e um playground infantil idealizado pelo arquiteto Marjan Božič. Em 1965, Božič também criou o Dvorana Tivoli, um hall dedicado a eventos desportivos e concertos. Em 1973, foi construído um centro esportivo e recreativo com piscina interna e pistas de boliche, com design de Fedja Košir.

Piran, o coração da Ístria na Eslovênia

Continuando nosso passeio pela Ístria, atravessamos a fronteira da Croácia com a Eslovênia rumo à Piran e Portorož. As duas cidades ficam coladinhas uma na outra; nosso hotel ficava em Portorož, mas as principais atrações turísticas estão em Piran. Por isso, passeamos bastante por lá.

DSC01130

Piran é uma cidade portuária e, por conta disso, muitos dos visitantes passam apenas poucas horas por lá antes de voltarem para seus respectivos cruzeiros.

Muralhas de Piran

DSC01120

As muralhas da cidade de Piran datam do século VII, quando foram construídas em torno do antigo centro da cidade em Punta. Desde então, a cidade cresceu na direção de Mandrac, incluindo cada vez mais quarteirões que iam se formando fora dos limites da muralha. Por conta do crescimento da cidade, e visando protegê-la dos ataques inimigos, duas novas partes da muralha foram construídas, incluindo diversas torres de defesa. A seção da muralha melhor preservada é conhecida como Mogoron, e tem um valor histórico inestimável para a região.

Catedral de São Jorge

A Catedral de São Jorge, localizada no topo da colina acima do centro da cidade, de onde podemos ver 3 países ao mesmo tempo, é a maior igreja da cidade e homenageia o patrono de Piran. No século XIV, a Igreja foi construída do mesmo tamanho que se mantém até hoje, enquanto a renovação barroca no século XVIII deu à Igreja sua aparência atual. Por sua vez, a torre do sino ficou pronta durante o período de influência veneziana em Piran (no século XVII), e é uma cópia em menor escala do San Marco Campanile de Veneza. Seus 146 degraus conduzem ao topo da torre do sino, que tem 47,2m de altura e abriga quatro sinos.

Praça Tartini

O lugar onde hoje fica a Praça Tartini foi outrora um pequeno porto para barcos de pesca. Entretanto, no começo do século XIX, a área foi preenchida por areia e a nova plataforma ficou rapidamente cercada pelas mais importantes instituições municipais, sendo transformada em um mercado aberto. A praça foi batizada em homenagem a um famoso violinista e compositor local, Giuseppe Tartini (1692 – 1770). A praça tem o formato de uma elipse porque, entre 1912 e 1953, havia uma linha de bonde ligando a cidade de Piran às cidades vizinhas de Portorož e Lucija, e a praça servia como ponto de reversão do bonde.

Na Praça Tartini, encontramos a casa de Giuseppe Tartini e um monumento erguido em sua homenagem. Na casa de Tartini, uma sala foi organizada como memorial, exibindo itens valiosos como o violino do músico, sua máscara de morte e cartas escritas de próprio punho. Em 1892, celebrando o 200º aniversário de nascimento do compositor, o povo de Piran se mobilizou para erguer um monumento para honrar sua memória mas, por conta de atrasos, foi preciso esperar até 1896 para que a estátua de bronze do virtuoso músico fosse colocada no pedestal no meio da praça.

Também nesta mesma praça está a sede da prefeitura de Piran. No final do século XIII, os venezianos construíram a sede da prefeitura fora dos limites da muralha existente naquele período, em estilo gótico-romano. Somente no final do século XIX foi construída a sede da prefeitura na Praça Tartini, onde está até hoje.