A região de Kaptol de Zagrebe

Zagrebe foi um dos destinos da nossa road trip, e passamos alguns dias conhecendo a cidade. A principal região turística é o Kaptol, que fica na parte mais alta da cidade. A partir do centro, o limite do Kaptol começa na Catedral de Zagrebe, que, por sua vez, fica a poucos metros do Mercado Dolac, que é o principal mercado de fazendeiros da cidade, onde também podemos encontrar alguns souvenires.

IMG_5227

O Kaptol foi confirmado em 1094, quando o Rei Ladislaus fundou a diocese de Zagrebe. O bispo, residente na Catedral, tinha sua residência na parte sudoeste da colina do Kaptol. A Catedral foi consagrada em 1217, mas foi muito danificada durante a invasão mongol de 1242. Depois de 1263, foi reconstruída e restaurada. Na Idade Média, o Kaptol não tinha fortificações para protegê-lo, dependendo das cercas de madeira para protegê-lo; as muralhas e torres defensivas em torno do Kaptol foram construídas entre 1469 e 1473, e a Torre Prislin (perto da Escola Kaptol) é uma das melhores preservadas daquele período. Em 1493, os turcos chegaram a Sisak, mas foram derrotados; portanto, com medo da invasão turca, o Bispo de Zagreb construiu fortificações em torno da Catedral e da sua residência. A muralha e as torres defensivas foram construídas entre 1512 e 1520, sendo preservadas até os dias de hoje, exceto por aquelas que ficavam na frente da Catedral, situada na Praça Kaptol: esta seção da muralha foi demolida em 1907. No século XII, duas igrejas góticas foram construídas no Kaptol: a Igreja de São Francisco, abrigando o mosteiro franciscano, e a Igreja de Santa Maria, que passou por trabalhos de reconstrução nos séculos XVII e XVIII. Em Opatovina, pequenas casas dos habitantes de Kaptol ainda estão preservadas, mas em Dolac diversas ruelas foram destruídas em 1926, no espaço hoje ocupado pelo mercado.

Catedral de Zagrebe

A Catedral de Zagrebe é uma instituição da Igreja Católica Apostólica Romana, e não é apenas a construção mais alta na Croácia mas também a mais monumental das construções em estilo gótico a sudoeste dos Alpes. A Catedral de Zagrebe é dedicada à Assunção de Nossa Senhora, e aos Reis São Estéfano e São Ladislau. A catedral é tipicamente gótica, bem como sua sacristia, e isto tem um grande valor arquitetônico. Suas torres proeminentes são consideradas marcos históricos, que podem ser vistas da maior parte da cidade.

Praça & Igreja de São Marcos 

A praça de São Marcos (Trg svetog Marka) fica em Gornji grad (ou “cidade alta”). No centro da praça, está a Igreja de São Marcos. A principal evidência de que a Igreja de São Marcos foi construída no século XIII é a sua janela romanesca, bem como o plano semicircular da Capela de Santa Maria, posteriormente alterada. Na segunda metade do século XIV esta igreja foi radicalmente reconstruída, sendo reformada para um estilo gótico com três naves. A característica mais distinta desta igreja são os azulejos no seu teto, que formam o brasão de armas de Zagrebe.

A praça de São Marcos também abriga alguns importantes prédios governamentais: a sede do governo da Croácia (Banski dvori), o Parlamento Croata (Hrvatski sabor), e a Corte Constitucional da Croácia. Na esquina da praça de São Marcos com as ruas de Ćiril e Metod está a antiga sede da prefeitura, onde o Conselho da Cidade de Zagrebe realiza suas sessões.

Igreja de Santa Catarina

DSC00929

Crkva sv. Katarine é uma igreja do estilo barroco. Antes da construção da Igreja de Santa Catarina, uma igreja dominicana do século XIV ocupava a área. Quando os jesuítas chegaram a Zagrebe no início do século XVII, eles pensavam que a igreja original era muito tradicional e inadequada para seu trabalho missionário, trabalhando na construção de uma nova igreja a partir de 1620, terminando-a em 1632. Um mosteiro foi construído em adjacência à igreja, mas hoje o espaço é ocupado pela galeria de arte Klovićevi dvori. A Igreja de Santa Catarina já passou por 2 incêndios (o primeiro em 1645, e o segundo em 1674) que devastaram seu interior. A Igreja foi reformada e decorada com a ajuda dos nobres ricos da Croácia e, em troca, poderiam expor os brasões de suas famílias ou ter a honra de serem enterrados na igreja. Em 1793, a Igreja de Santa Catarina se tornou parte da paróquia de São Marcos. Em 1880, a igreja sofreu severos danos e, depois de 6 meses de reformas, foi novamente consagrada em novembro de 1881.

Croatian Museum of Naïve Art

O Hrvatski muzej naivne umjetnosti é um museu de arte dedicado aos artistas do movimento naïve (artistas auto-didatas) do século XX. Reunindo quase 2 mil trabalhos de arte (entre pinturas, esculturas, desenhos e impressões), o destaque fica para os artistas croatas, embora outros artistas internacionais do gênero também tenham suas obras expostas neste museu. O museu fica no primeiro andar do Palácio Raffay, do século XVIII.

Museu da Cidade de Zagrebe

Muzej grada Zagreba foi fundado em 1907 pela associação Braća hrvatskoga zmaja e está localizado num complexo monumental reformado, onde outrora ficava um convento. O museu apresenta os tópicos históricos culturais, artísticos, econômicos e políticos da cidade em expansão desde a pré-história, passando pelas descobertas romanas e o período moderno. São cerca de 75 mil itens organizados sistematicamente de maneira cronológica e temática, abordando coleções artísticas e objetos mundanos característicos da cidade e da sua história. O ingresso custa 30 Kuna, e o museu está aberto de terças a sábados entre 10h e 19h, e aos domingos entre 10h e 14h.

Muzej prekinutih veza

O Museu dos Relacionamentos Fracassados é dedicado aos relacionamentos amorosos fracassados, exibindo objetos pessoais deixados por ex-amantes, com respectivas descrições. O museu começou a partir de uma coleção viajante de itens doados e, desde então, encontrou sua localização permanente em Zagreb. Em 2011, o Museu dos Relacionamentos Fracassados recebeu o prêmio Kenneth Hudson que o reconheceu como museu mais inovador da Europa.

Advertisements

Siófok e o lago de Balaton

Na nossa road trip, seguimos da Hungria para a Croácia. Embora o trajeto fosse de cerca de 4h apenas, decidimos passar uma noite em Siófok para conhecer o Lago Balaton.

IMG_5157

Siófok é o segundo destino de férias mais popular na Hungria, atrás apenas de Budapeste, graças a sua costa com 17km de extensão, mais de mil hotéis/pousadas e muitos bares, restaurantes e boates.

Por conta do intenso turismo, Siófok é uma das cidades mais ricas da Hungria, e é conhecida como “a capital do Lago Balaton” por ser a maior cidade em torno do lago, e atuando como hub turístico, comercial, cultural, financeiro e midiático da parte norte do Condado de Somogy e da margem sul do Lago Balaton.

IMG_4461

O lago é realmente belíssimo, e nós demos muita sorte de chegarmos lá num dia lindo, em que as águas cristalinas se confundiam com a imensidão do céu limpo. Mas, como já era o meio de outubro, a agitação do destino de verão já tinha acabado, e o que nos restou foi a calmaria da pousada onde nos hospedamos e dos bares e restaurantes nas proximidades.

No fim das contas, pra nós, Siófok rendeu horas de paz e sossego entre Budapeste e Zagrebe, o que é sempre um saldo positivo quando as férias são longas e intensas.

IMG_4462

A dica gastronômica em Siófok é o Matróz al Ramirez Gyros és Etterem. Comi um bife com batatas fritas e cebolas empanadas e caramelizadas que estava do céu. O Matróz al Ramirez Gyros és Etterem fica próximo da marina de Siófok, e eles oferecem um amplo cardápio com pizzas deliciosas e outros pratos de dar água na boca.

Outros passeios em Budapeste

Budapeste tem incontáveis pontos de interesse turístico, e pode ser difícil explorar tudo o que a cidade oferece em apenas poucos dias – principalmente se, como eu e o marido gostamos de fazer, o seu meio de transporte preferido sejam suas próprias pernas. Passear com tranquilidade pela cidade é muito agradável, e ir descobrindo os belos pontos turísticos ao longo das caminhadas é sempre a nossa maneira preferida de viajar.

Gellért Hill

IMG_5131

A Colina de Gellért recebeu este nome em homenagem a São Geraldo, que foi lançado à morte do topo da colina. O famoso Hotel Gellért e as Gellért gyógyfürdő (ou banheiras de Gellért) ficam na Praça de Gellért, ao pé da colina, próximo à Ponte da Liberdade. A Caverna da Colina de Gellért fica dentro da colina, de frente para o Hotel Gellért e o rio Danúbio. No topo da colina está a Citadella, de onde pode-se observar amplamente o Danúbio.

Szabadság-szobor

IMG_5108

No topo de Gellért Hill, encontramos Szabadság-szobor ou, em bom português, Estátua da Liberdade. Erguida primeiramente em 1947, celebrando a libertação soviética da Hungria durante a Segunda Guerra Mundial (que livrou o país da ocupação nazista alemã), a estátua soviética que lá estava fica, hoje, no Memento Park como parte da memória histórica daquela arte. A estátua de bronze de 14m de altura fica no topo de um pedestal de 26m, e tem uma folha de palmeira nas mãos, com duas outras estátuas menores em torno da base. Na época da construção do monumento, a derrota das forças do Eixo pelo Exército Vermelho foi proclamada oficialmente como libertação, o que originou a seguinte inscrição no memorial: “A FELSZABADÍTÓ SZOVJET HŐSÖK EMLÉKÉRE A HÁLÁS MAGYAR NÉP 1945”, que pode ser traduzida como “em memória aos heróis de libertação soviética, erguida com gratidão pelo povo da Hungria em 1945. Nos anos seguintes, o sentimento público em relação aos sovietes deixou de ser de gratidão e passou a fomentar revoluções, com sucesso temporário em 1956, e subsequentemente danificando algumas porções do monumento. Depois da transição em 1989 do comunismo para a democracia de mercado, a inscrição foi modificada para “MINDAZOK EMLÉKÉRE AKIK ÉLETÜKET ÁLDOZTÁK MAGYARORSZÁG FÜGGETLENSÉGÉÉRT, SZABADSÁGÁÉRT ÉS BOLDOGULÁSÁÉRT”, que pode ser traduzida como “em memória a todos aqueles que sacrificaram suas vidas pela independência, liberdade e prosperidade da Hungria”.

Szent István-bazilika

A Basílica de Santo Estêvão homenageia Estêvão, o primeiro rei da Hungria, e era a sexta maior igreja da Hungria antes de 1920, mas hoje é a terceira maior igreja do país, e co-catedral da Arquidiocese Católica Romana em Budapeste. Nesta Basílica acontecem muitos concertos musicais de prestígio. Aqueles que desejarem visitá-la de modo turístico, deverão agendar por telefone e pagar uma taxa de HUF 1.600 por adulto. As missas são celebradas aos domingos (08h30, 10h, 12h e 18h) e nos dias de semana (07h e 08h na Capela, e 18h na Basílica).

Hősök tere (Heroes Square)

IMG_4394

A Hősök tere, ou Praça dos Heróis, é uma das maiores praças de Budapeste, e tornou-se notável por conta do seu complexo de estátuas que celebram os sete chefes dos Magiares (líderes das sete tribos húngaras na época da chegada de Carpathian Basin in 895AD) e outros importantes líderes nacionais húngaros, bem como a Pedra Memorial dos Heróis. A praça fica ao final da Avenida Andrássy, próxima ao Városlieget (parque da cidade), numa área muito agradável de Budapeste. A Praça dos Heróis foi palco de importantes eventos da história contemporânea da Hungria, e foi um dos lugares que mais gostamos de visitar em Budapeste.

House of Terror Museum

IMG_4376

O Museu do Terror em Budapeste conta a história das ocupações nazistas e soviética na Hungria, destacando as características negativas de cada uma destas ocupações e prestando homenagem às vítimas que foram capturadas, torturadas e mortas naquele mesmo prédio. Alguns historiadores, jornalistas e cientistas políticos já indicaram que este museu retrata a Hungria de uma maneira muito vitimada, sem reconhecer as contribuições que os próprios húngaros fizeram para perpetuar os regimes nazista e comunista; muitas críticas também já foram feitas ao fato de que o museu dá muito mais destaque ao terror perpetrado pelo regime comunista do que pela ocupação nazista, sem reconhecer as benfeitorias da libertação durante a Segunda Guerra Mundial. Eu concordo em gênero, número e grau com estas colocações, embora ainda considere uma visita válida. Os ingressos individuais para adultos custam HUF 3.000, a bilheteria fecha às 17h30, e o museu fica aberto de terças-feiras a domingos entre 10h e 18h. Não é permitido fotografar ou filmar o museu, e nem entrar com mochilas (que devem ser deixadas em lockers pagos à parte).

Margitsziget

Talvez o lugar mais agradável para passear sem pressa em Budapeste seja a Margitsziget, ou Ilha Margarida! No meio do Danúbio, com alguns interessantes monumentos e muitas flores e árvores, o passeio pela Margitsziget torna-se uma experiência memorável.

Mas, Letícia, cadê o Parlamento nessa lista?

Pois é, minha gente, nós não visitamos o Parlamento de Budapeste! Não conseguimos agendar a visita, então só admiramos o prédio por fora. Ficou pra próxima!!

Memento Park em Budapeste

O Szoborpark, ou Parque Memento, reúne em Budapeste as maiores estátuas da Guerra Fria, que enfeitavam a Hungria ao longo da ocupação soviética. Ao todo, são 42 peças de arte da era comunista, compreendida entre 1945 e 1989, incluindo os monumentos “Amizade Húngara-Soviética” e a “Libertação”, bem como estátuas de famosas personalidades do movimento trabalhista, soldados do Exército Vermelho e outras peças gigantes de Lenin, Marx, Engels, Dimitrov, Capitão Ostapenko, Béla Kun e outros heróis comunistas.

IMG_5071

O arquiteto Ákos Eleőd idealizou o Memento Park e, na época da sua inauguração, declarou que o parque era uma memória à ditadura e, ao mesmo tempo, porque pode ser discutida, descrita e estudada, o parque também é uma ode à democracia.

Uma das principais estátuas é a do Soldado do Exército da Libertação, com uma bandeira contendo a imagem da foice e do martelo na sua mão, e uma pistola automática pendendo do seu pescoço. Esta estátua, com 6 metros de altura, ficou outrora no topo da Colina de Gellért, no centro de Budapeste, e podia ser vista de qualquer ponto da cidade.

Os ingressos individuais para adultos custam HUF 1.500, e o Memento Park fica aberto todos os dias das 10h até o pôr do sol. Embora o Memento Park fique um pouco distante das outras atrações turísticas de Budapeste, é fácil chegar até lá usando o transporte público: primeiro, é preciso ir até a estação Kelenföld vasutallomas, atendida pela linha 4 do Metrô; lá, basta tomar um dos seguintes ônibus na direção Budateteny vasutallomas (Campona): 101B, 101E ou 150. Um mapa mostrando a linha 4 do metrô pode ser consultado aqui.

O Castelo de Buda na Colina do Castelo

Em Budapeste, uma das principais atrações é o Buda Castle em Castle Hill (ou, em bom português, o Castelo de Buda na Colina do Castelo). Mas o Castelo de Buda é muito mais do que um castelo que foi outrora a sede do palácio real Húngaro e Austro-Húngaro até 1944; na verdade, os aposentos reais não existem desde a Segunda Guerra Mundial, quando foram saqueados e destruídos primeiro pelas tropas nazistas, e depois pelas tropas russas. Infelizmente, restou muito pouco da antiga glória do Castelo de Buda como palácio real.

IMG_5013.JPG

Atualmente, os prédios do Castelo de Buda hospedam algumas das principais atrações de Budapeste, enquanto seus jardins abrigam diversos festivais da cidade. Os prédios do Castelo de Buda são: a Galeria Nacional Húngara (Hungarian National Gallery), o Museu de História de Budapesde (Budapest History Museum), a Biblioteca Nacional Szechenyi (National Szechenyi Library), o Bastião dos Pescadores (Fisherman’s Bastion) e a Igreja de Matthias (Matthias Church).

Hungarian National Gallery

As coleções da Galeria Nacional Húngara (em húngaro, Magyar Nemzeti Galeria – ou MNG) estão distribuídas nos prédios A, B, C e D do Castelo de Buda, o que significa que a galeria ocupa a maioria do Castelo de Buda na Colina do Castelo de Budapeste. A galeria reúne todos os trabalhos de arte húngaros desde a fundação do Estado Húngaro até o início do século XX, e a sua principal coleção é a de pinturas de artistas húngaros do século XIX. A galeria é um lugar maravilhoso para os apaixonados pela arte do século passado, e também para aqueles que desejam ver o interior do Castelo de Buda sem gastar muito: os ingressos por adulto custam HUF 1.800, e o audio guia custa HUF 800. A Galeria Nacional fica aberta de terça a domingo entre 10h e 18h.

DSC00628.JPG

Budapest History Museum

O Museu de História de Budapeste é o lugar ideal para aqueles aficionados por história e também para quem se apaixonou por Budapeste, já que o museu confere uma perspectiva única aos visitantes sobre a vida das pessoas em Budapeste nos séculos antigos, apresentando a culinária, as danças, etc de tempos passados. O Museu de História de Budapeste fica aberto ao público de terça a domingo entre 10h e 18h nos meses de março a outubro, e de terça a domingo entre 10h e 16h nos meses de novembro a fevereiro.

National Szechenyi Library

A Biblioteca Nacional Szechenyi também fica no Castelo de Buda, ao lado do Museu de História de Budapeste. A biblioteca tem exposições temporárias, e a maioria das exibições apresentam ilustrações, mapas de outros séculos, livros antigos, mas também algumas exibições de porcelanas de Herend ou desenhos de artistas húngaras. A Biblioteca Nacional Szechenyi  fica aberta ao público de terça a sábado entre 9h e 20h.

Fisherman’s Bastion

Aberto 24 horas por dia, 7 dias na semana, o Bastião dos Pescadores é uma das atrações mais populares de Castle Hill, e uma das mais bonitas também. Mundialmente conhecido pelas suas torres e pináculos, a vista que temos lá do Fisherman’s Bastion é uma das mais incríveis da cidade. De acordo com o seu estilo arquitetônico, o Fisherman’s Bastion parece muito mais antigo do que realmente é, já que foi construído na virada do século XX, tendo sua construção finalizada em 1902, celebrando o milésimo aniversário do Estado Húngaro. Embora o acesso às torres baixas seja gratuito o dia inteiro, as torres superiores são acessíveis gratuitamente somente entre 20h e 9h; ao longo do dia (entre 9h e 20h), o custo por adulto é de HUF 1.000.

Matthias Church

IMG_4054.JPG

A Igreja de Matthias é uma das mais belas de Budapeste, localizada no topo da Colina do Castelo de Buda, e que serve aos habitantes de Buda desde o ano de 1015, tendo sido fundada pelo primeiro rei húngaro. O interior da Igreja de Matthias é cheio de surpresas, mistérios e tesouros, com um interior colorido inspirado pelo orientalismo e historicismo romântico. Sua atmosfera mística e exótica, combina aos traços neo-góticos, diferenciam a Igreja de Matthias de qualquer outra. A Igreja de Matthias está aberta aos visitantes todos os dias (de segunda a sexta entre 9h e 17h, aos sábados entre 9h e 13h, e aos domingos entre 13h e 17h), mas seus horários estão sujeitos à mudanças por conta de celebrações litúrgicas. Os ingressos para adultos custam HUF 1.800.