Onde comer em Edinburgh?

Ah, Edimburgo! Não tem como não lembrar com alegria dessa cidade que mora no meu coração! E, se Edimburgo mora no meu coração desde 2012, depois dessa última visita em dezembro do ano passado, posso dizer que mora no meu estômago também, pois conseguimos explorar alguns bons e ótimos restaurantes na nossa passagem por lá.

  • Vittoria 

Coladinho no The Elephant House, em plena George IV Bridge, o Vittoria on the Bridge tem um ambiente cool e family friendly, com um cardápio de culinária italiana descomplicada e clássica. Nós tínhamos chegado da nossa viagem de carro, saindo de Lanercost, e meu estômago faminto ficou muito feliz com o penne alla Milanese (£11,95) maravilhoso que eu comi. Há uma outra unidade do Vittoria em Edinburgh, o Vittoria on the Walk, que ocupa o mesmo lugar desde 1970.

  • Café Andaluz 

Outra rede de restaurantes que merece a sua atenção! Nós fomos na unidade de Glasgow no dia da nossa day trip pra lá, mas há uma unidade também em Edinburgh, pertinho do Vittoria on the Bridge. O Café Andaluz celebra a culinária ibérica em toda a sua glória, e as tapas são de comer rezando de tão boas. De segunda a sexta feira, entre 11h30 e 15h, pode-se escolher quaisquer 3 tapas por £13,95 (por pessoa). O ambiente é muito agradável, e o serviço foi ótimo. Nós comemos 4 tapas: croquetas de jamón y queso, albóndigas, pollo marinado, e vieiras con serrano. Tudo estava absurdamente delicioso, e eu recomendo fortemente esse restaurante.

  • Boteco do Brasil

Meu estômago expatriado quase surtou de felicidade quando descobrimos que, bem pertinho do nosso hotel, tinha um restaurante brasileiro (47 Lothian Street)! Guaraná Antártica, pão de queijo (£4,95), frango à passarinho (£4,95), linguiça com aipim (£4,95), coxinha (£4,95)… nós nos deleitamos num verdadeiro banquete! Além da unidade de Edimburgo, o Boteco do Brasil também tem uma unidade em Glasgow para os estômagos famintos de Brasil.

  • Kyloe Steak Restaurant & Grill

O restaurante escolhido para o meu almoço de aniversário! Kyloe foi o primeiro restaurante gourmet de carnes de Edimburgo. “Kyloe” é uma palavra escocesa antiga para o gado das Highlands, e foi escolhido para dar nome ao restaurante para representar a força e versatilidade dos produtos bovinos da Escócia. O restaurante fica no The Rutland Hotel, no West End de Edinburgh, com uma vista linda para o Castelo de Edimburgo. Os menus do restaurante foram elaborados pelo premiado Chef John Rutter. Nós escolhemos o Steak Sharing Option (£35,00) com 300g de filé mignon, servido com molho de whisky e pimenta, batatas fritas, ervilhas e salada, e estava uma delícia.

  • Cucina

Fomos jantar no Cucina no dia do meu aniversário. Esse restaurante fica no Radisson Collection Hotel da Royal Mile (antigo Hotel Missoni), comandado pelo premiado Chef Andrew McQueen. A experiência culinária proposta pelo Cucina é de pratos modernos e estilosos, executados com perfeição, combinando os sabores italianos aos ingredientes frescos sazonais. Neste charmoso restaurante, pedi o risotto alla zucca, beignet alla salvia e formaggio di capra di St Maure (£9,95), que estava muito gostoso.

  • Contini

O Contini é um dos restaurantes mais disputados de Edinburgh. Localizado no número 103 da George Street, esse restaurante faz uma releitura da cozinha tradicional italiana de uma maneira contemporânea num ambiente lindo. Pedimos arancini (£6,50) e burrata (£8) como entradas para dividir, e depois cada um comeu seu ravioli de espinafre e ricotta com molho amanteigado de tomates (£8). Tudo estava espetacular.

  • Söderberg

IMG_8361

Sabe aquela pausa gostosa pra um cafézinho no meio da tarde? Söderberg é um ótimo lugar pra isso. Menos lotado do que qualquer Starbucks e com um ambiente super cool, a rede de padarias e cafés tem algumas unidades na cidade de Edinburgh. Eu tomei um cafézinho com uma chokladboll, um pseudobrigadeiro coberto de flocos de côco que vale cada caloria.

  • Nanyang Malaysian Cuisine

Você já pensou em provar a culinária da Malásia? Não? Então não sabe o que está perdendo! O excelente Nanyang tem um ambiente muito agradável, propício para apresentar o melhor da culinária da Malásia, que tem fortes influências da região e da sua população diversa: as culturas malai, chinesa, indiana, thailandesa, javanesa e sumatran são as principais influências dessa culinária. Nós provamos a sopa wonton (£4,95) e o frango com legumes e molho Nanyang (£11,95). Tudo estava delicioso e as porções são generosas.

  • Wagamama

img_8374.jpg

A famosa rede, que tem filiais em todo o Reino Unido, tem cada prato melhor do que o outro. Naquele dia, eu escolhi o wagamama ramen, que combina frango grelhado, carne de porco, chikuwa, camarões e mexilhões num caldo de galinha com dashi e miso, além de meio ovo cozido, menma, wakame, cebolas e brotos de ervilha. Estava bom demais!

O que fazer em Edimburgo?

Eu já contei por aqui que sou apaixonada por Edimburgo desde 2012, quando fui pra lá pela primeira vez. A cidade velha de Edimburgo foi tombada como patrimônio mundial da UNESCO, tendo sido preservadas as suas características medievais. Se o Castelo de Edimburgo e a Milha Real (Royal Mile) não forem o suficiente para convencer você a visitar a bela capital da Escócia, hoje fiz um apanhado de vários pontos turísticos (óbvios ou não tão óbvios) que você não pode deixar de conhecer!

IMG_2900

Calton Hill é uma atração por si só: o topo da colina oferece uma vista linda do Mar do Norte! E lá estão alguns monumentos importantes: Nelson Monument, National Monument, Playfair Monument, Monument to Scottish Parliament, Dugald Stewart Monument.

A estação de trens Edinburgh Waverley conecta a capital da Escócia a outras cidades escocesas e também do Reino Unido, inclusive Londres, Manchester e Birmingham. Foi de lá que pegamos o trem para Glasgow!

Edinburgh Waverley fica na Princes Street, que é uma das principais ruas da cidade, e concentra, além dos monumentos Scott Monument e The Royal Scots Greys Monument, muitas lojas – ou seja, se você quiser fazer umas comprinhas enquanto estiver em Edimburgo, a Princes Street será parada obrigatória!

Palace of HolyroodhouseQueen’s Gallery são imperdíveis, e o ingresso que dá acesso aos dois locais custa £17,50 (o ingresso para visitar somente o palácio custa £14,00). Fundado em 1128 por David I da Escócia como um mosteiro, o Palácio de Holyroodhouse serviu como principal residência dos reis e rainhas da Escócia desde o século XV. Hoje em dia, é a residência oficial da Rainha Elizabeth II na Escócia, e é possível visitar os aposentos reais, bem como os aposentos usados por Maria Rainha dos Escoceses. Os jardins do Palácio são belíssimos, e as ruínas da Abadia de Holyrood (Holyrood Abbey) são impressionantes.

Em frente ao Palácio de Holyroodhouse, o Edifício do Parlamento Escocês (Scottish Parliament) pode ser visitado gratuitamente, e também é possível agendar tours guiados.

Na Royal Mile, a belíssima St. Gile’s Cathedral é a igreja histórica da cidade de Edimburgo, e o pináculo de coroa chama a atenção no horizonte de Edimburgo, e pode ser vista tanto do Castelo quanto de Calton Hill. A Catedral de St. Giles é a Igreja Mãe do Presbitarianismo, e é nela que fica a Chapel of the Order of the Thistle.

DSCN9681.JPG

Para os fãs de Harry Potter, em George IV Bridge, The Elephant House foi o lugar onde J.K. Rowling passou boa parte do tempo escrevendo o primeiro livro da série, com uma bela vista para o Castelo de Edimburgo. Por isso, este café é considerado o lugar do nascimento de Harry Potter.

Além de tudo isso, para quem gosta de galerias de arte, Edinburgh abriga a Scottish National Gallery of Modern Art, a Scottish National Portrait Gallery e a Scottish National Gallery. Para os apaixonados por uísque, a Scotch Whisky Experience fica coladinha no Castelo de Edimburgo.

Mesmo já tendo visitado a cidade em 2012 e 2017, ainda quero voltar outras vezes para aproveitar mais e continuar descobrindo as maravilhas da capital da Escócia!

Edinburgh Castle, a fortaleza no topo de Castle Rock

Ah, Edinburgh! Como eu amo essa cidade! Desde que nos conhecemos em 2012, tenho um caso de amor por esta cidade, que foi a eleita para passarmos o meu aniversário! As comemorações começaram bem cedo, quando acordei pra ir à missa na St Mary’s Catholic Cathedral, e depois subimos a Royal Mile até chegarmos ao Castelo de Edimburgo, que fica no topo de Castle Rock.

Para visitar o Edinburgh Castle é preciso adquirir o ingresso, que custa £17 para adultos (de 16 a 59 anos), £10.20 para crianças (de 5 a 15 anos) e £13.60 para maiores de 60 anos. Crianças com menos de 5 anos podem visitar a fortaleza gratuitamente, mas sempre acompanhadas por um adulto. Áudio-guias estão disponíveis para aluguel por £3.50, e tours guiados estão incluídos no ingresso.

IMG_2959

O Castelo de Edimburgo é, na verdade, uma grande fortaleza, que também abriga o National War Museum, os Regimental Museums e o Scottish National War Memorial, além do palácio real, das prisões de guerra e da capela de Santa Margaret, que é a construção mais antiga de Edimburgo! Uma parte da fortaleza ainda é usada como base militar.

IMG_2964

Durante a Idade do Ferro, os guerreiros compreendiam o potencial militar da rocha, e construíram um forte no seu topo. A poesia mais antiga da Escócia conta a história de um esquadrão de guerra que passou um ano festejando no Castelo de Edimburgo antes de encararem a morte nas batalhas. Já no período das Guerras de Independência, o Castelo mudou de liderança muitas vezes. Em 1314, foi retomado pelos ingleses numa batida comandada por Thomas Randolph. O Castelo foi a casa de reis e rainhas; a Rainha Margaret (mais tarde, Santa Margaret) faleceu lá, em 1093, e Maria Rainha dos Escoceses deu a luz à James VI no palácio real em 1566. Em 1996, a Pedra do Destino (Stone of Destino), sobre a qual os reis foram coroados por muitos séculos, foi devolvida à Escócia, e está exposta na Sala da Coroa.

 

Day trip para Glasgow

Estamos na Escócia! Mais precisamente, em Edimburgo! Estou amando revisitar essa cidade linda na companhia do marido! E quem me segue lá no instagram tem visto as fotos (quase) em tempo real das nossas aventuras!

Hoje aproveitamos o dia pra fazermos mais uma day trip: dessa vez, para Glasgow. De novo, compramos bilhetes de ida e volta, que custam £12,75 por adulto. Saímos da estação Waverly em Edimburgo no trem das 10h em direção a estação Queen St em Glasgow, e voltamos no trem das 15h.

Como outras cidades européias, Glasgow está movimentada por conta do mercado de Natal, localizado bem no centro da cidade, e muito próximo à estação de trens.

Nós saímos um pouco do que talvez fosse um roteiro turístico tradicional e fomos caminhando até o estádio do Celtics, o Celtics Park. O estádio fica a pouco mais de 3km da estação de trem, e decidimos ir caminhando mesmo para conhecer mais lugares inusitados da cidade.

No caminho de ida, paramos para admirar o Glasgow Green, um grande parque que abriga o Palácio de Inverno da cidade. Na volta, caímos na risada com o muro da cervejaria Tennent Caledonian Brewery.

Decidimos voltar para o centro da cidade para almoçarmos, e escolhemos o Café Andaluzia. Optamos por pedir 4 tapas para dividirmos: peixe empanado, almôndegas, croquete de presunto e queijo, e vieiras com presunto serrano. Tudo estava muito saboroso e o serviço neste restaurante é bem rápido. Há uma promoção nos dias de semana em que paga-se £13,95 por 3 tapas.

Depois de almoçarmos, caminhamos um pouco pelo centro e passeamos pela George Square, que está tomada pela feira natalina, além de vermos The Glasgow Royal Concert Hall. Por fim, resolvemos provar os churros vendidos no mercado de Natal.

O trem que liga as duas cidades leva cerca de 40min para fazer o percurso, e é uma day trip bacana pra quem tiver um tempinho sobrando em Edimburgo!