Golestan Palace em Teerã

Outro local incrível que visitamos em Teerã foi o Golestan Palace, o antigo complexo real da dinastia do Qajar, que governou a Pérsia entre 1785 e 1925. O Palácio de Golestan é um dos monumentos históricos mais antigos de Teerã, e recebeu da UNESCO o status de patrimônio da humanidade.

O Golestan Palace faz parte de um conjunto de construções reais que, um dia, ficaram protegidos pelas muralhas da cidadela, e consiste de jardins, prédios reais, coleções de artesanatos iranianos e presentes europeus que datam dos séculos XVIII e XIX.

A obra-prima da era da dinastia Qajar incorpora a integração das antigas artes manuais persas com a arquitetura de influência ocidental. Guardado por seus muros, o Palácio de Golestan se tornou a sede do governo da família Qajar, que subiu ao poder em 1779 e elegeu Teerã como capital do país.

Construído em torno de um jardim que abriga piscinas além das áreas plantadas, os traços mais característicos e objetos de decoração do Golestan Palace datam do século XIX.

O luxuoso palácio tornou-se um centro das artes e arquitetura Qajari, tornando-se um exemplo estupendo do período, e permanecendo como fonte de inspiração para os artistas e arquitetos iranianos contemporâneos. O Palácio Golestan representa um novo estilo de incorporar as artes persas tradicionais e os elementos tecnológicos e arquitetônicos do século XVIII.

São 12 principais prédios/salas históricos: Takht e Marmar (Trono de Mármore), Karim Khani Nook (Khalvat e Karim Khani), Howz Khaneh, Talar e Brelian (salão brilhante), Talar e Zoruf, Talar e Adj (salão de marfim), Talar e Aineh (salão dos espelhos), Talar e Salam, Talar e Almas (salão dos diamantes), Emarat e Badgir, Shams ol Emareh (prédio do sol), Palácio de Abyaz. Um dos pontos mais impressionantes do complexo do Palácio de Golestan é, sem sombra de dúvidas, o Takht e Marmar – ou Trono de Mármore -, que precisa ficar coberto para impedir que os espelhos que decoram o terraço reflitam luminosidade na cidade inteira!

O espetacular terraço de Takht e Marmar foi construído em 1806 por ordem de Fato Ali Shah, da dinastia Qajar, que governou entre 1797 e 1834, e é uma das construções mais antigas do complexo histórico, tendo sido utilizado o famoso mármore amarelo da província de Yazd. Os detalhes arquitetônicos e os ornamentos desse terraço foram concluídos no governo de Nasser ed Din Shah (1848-1896). Coroações dos reis Qajaris e cerimônias formais da corte aconteciam neste terraço, e a última coroação a acontecer no Trono de Mármore foi de Reza Shah da dinastia Pahlavi, em 1925.

O ingresso individual para visitar o Golestan Palace custa 200.000 rials (aproximadamente R$17).

Advertisements

O Grand Bazaar de Teerã

No primeiro final de semana de março, nós “demos um rasante” em Teerã! Foi rápido, mas conhecemos alguns lugares bem impressionantes, apresentados a nós pelos nossos amigos que moram lá. Entre os lugares impressionantes que visitamos, o histórico Grand Bazaar, com seus 10 quilômetros de extensão, merece destaque!

O gigantesco bazar histórico abriga muitos corredores, e cada um deles se dedica a um tipo específico de produto. São muitas as entradas para o Bazaar, mas a principal delas é a Sabze-Meydan. Além de lojas, o Grand Bazaar abriga mesquitas, hospedarias e bancos, com fácil acesso ao metrô de Teerã pelas estações Khayam e Khordad 15.

Tapetes persas, utensílios de cobre, temperos, roupas, objetos de decoração e muitas barraquinhas de comida fazem do Grand Bazaar uma das principais atrações da capital do Irã. A diversidade das cores enche os olhos e, de fato, emociona!

Feliz dia das mulheres!

“Fine. Call me a ‘diva’, call me a ‘feminazi’, call me ‘difficult,’ call me a ‘First World feminist’, call me whatever you want, it’s not going to stop me from trying to do the right thing and make sure that the right thing happens.” – Emma Watson

Enquanto eu não escrevo sobre o intenso final de semana em Teerã, vamos celebrar o dia internacional das mulheres com essa foto que é puro #girlpower e até o Arthur (esse bebê fofo que aproveitou muito o Irã) sabe disso.