Porque você não deve visitar o Beer Museum em Bruxelas

Com tanta coisa acontecendo, parece que faz um século que nós viajamos de férias e passamos uns dias na Bélgica. Eu perdi a conta de quantas vezes ensaiei escrever os posts sobre nossos passeios por lá e acabava desanimada por conta do contexto pandêmico no qual estamos inseridos. Mas hoje resolvi aproveitar que tô numa crise de sinusite danada e, consequentemente, não existe a menor possibilidade de estudar pra, finalmente, contar um pouco do que fizemos naquelas férias.

A bela e grandiosa Grand-Place de Bruxelas.

Isto posto, não é novidade pra ninguém que a Bélgica é muito conhecida pelas suas cervejas – que são, de fato, muito saborosas. E, localizado no centro de Bruxelas, mais precisamente na Grand-Place, está o Belgian Brewers Museum, também conhecido como Beer Museum ou, em bom português, Museu da Cerveja. Como este blog é comprometido com a realidade, eu sou obrigada a dizer: é uma cilada, Bino!

O prédio da Maison des Brasseurs, que abriga o Museu da Cerveja.

Talvez nossa expectativa fosse muito alta por já termos visitado a Guinness Storehouse na Irlanda, mas tanto eu quanto o marido achamos o Museu da Cerveja de Bruxelas bastante decepcionante: além de ser muito pequeno, a impressão que tivemos é que não há um verdadeiro esforço pra contar a história da tradição belga em fazer cerveja. Pra completar, as poucas informações disponíveis são coladas nas paredes numas folhas A4 amadoramente impressas.

Fato é que, depois de olhar o museu, está incluído no ingresso a degustação de uma cervejinha. Se eu fosse você, quando estivesse em Bruxelas, economizaria tempo e dinheiro, pulava esse museu fajuto e tomava uma cervejinha direto em algum bar ou restaurante mais legal na cidade.

Tudo (ou quase tudo) o que eu já escrevi num só lugar: aqui

A partir de hoje, 07 de outubro de 2020, este blog reúne TUDO o que eu já escrevi e publiquei na minha vida de internet – ou quase tudo, já que uma parte continua e continuará exclusivamente publicada no leticiatostes.com.

Decidi comunicar oficialmente este feito num post porque eu vou ter um pouquinho de trabalho (pra não dizer muito) pra organizar absolutamente TUDO nas respectivas categorias de um jeito que faça sentido por aqui. Até lá, peço que tenham um pouquinho de paciência comigo!

A quem interessar possa, eu comecei o meu primeiro blog nos idos de 2007 e, desde então, tive alguns domínios, cada um dedicado a um tema.

Resolvi importar todo o conteúdo já produzido pra cá na intenção de ter o omundoéaminhacasa.com como grande diário de todas as minhas aventuras, tornando mais fáceis os momentos em que eu quiser revisitar as minhas memórias.