A Fortaleza de Hohensalzburg em Salzburgo

A Fortaleza de Hohensalzburg está localizada em Festungsberg, acima dos rooftops do distrito histórico barroco de Salzburgo. Este é o maior castelo totalmente preservado da Europa Central.

IMG_5546

No ano de 1077, o arcebispo Gebhard mandou construir a fortaleza e mudou a cidade de Salzburgo para sempre. Nos anos seguintes, seus sucessores deram continuidade ao desenvolvimento arquitetônico da fortaleza. O complexo adquiriu a aparência que conhecemos hoje sob a administração do arcebispo Leonhard von Keutschach, em 1500. O propósito inicial da fortaleza era proteger o principado e os arcebispos de ataques hostis e, em todos os seus anos de existência, nunca foi tomada por tropas inimigas.

A Fortaleza de Hohensalzburg tem vários museus. O Museu da Fortaleza tem uma exibição histórica focada na vida da corte conduzida pelos arcebispos. Os outros museus (Marionette Museum, Altes Zeughaus e Museum do Regimento de Rainer) convidam os visitantes a embarcar numa viagem ao passado.

Também é possível visitar os aposentos reais, que compreendem o Salão dos Príncipes, a Câmara Dourada e o Salão Dourado. Os móveis de todos estes aposentos são originais e nunca foram modificados desde 1501/1502.

O ingresso que dá direito a visitar todos os museus e aposentos reais da Hohensalzburg Festung custa €16,30 por adulto.

Advertisements

As principais atrações do centro de Liubliana

O centro de Liubliana é uma gracinha e tem muitas atrações para além do castelo histórico.

IMG_5527

A Praça Preseren é a principal praça de Liubliana, dedicada ao grande poeta eslovênio Dr. France Preseren. A estátua de Dr. Preseren fica no centro da praça, rodeada por diversas construções do início do século XX. A cidade antiga, o mercado e o rio ficam próximos da praça e também da Ponte Tripla de Plecnik.

A Igreja Franciscana, construída pelos Agostinianos, é um dos principais símbolos da cidade de Liubliana por conta da sua localização central na praça Preseren e sua cor inconfundível.

As três pontes de Liubliana (Tromostovje) são provavelmente as pontes mais conhecidas da cidade, e também as mais bonitas. As Tromostovje constituem um popular ponto de encontro para locais e turistas, reunindo também muitos músicos e artistas de rua.

IMG_5355

A ponte do Dragão é um dos pontos turísticos mais conhecidos de Liubliana, já que o símbolo da cidade é exatamente o dragão. Quatro dragões verdes, dois de cada lado, foram esculpidos como guardiões da ponte e da própria cidade. Esta ponte foi construída em 1901, dedicada a Franc Josef, Imperador de Hapsburg.

IMG_5354

O principal mercado de Liubliana é o Mestna trznica (ou, em bom português, mercado municipal), onde podemos encontrar frutas e verduras frescos, souvenires, artesanatos, pães artesanais e muitos artistas de rua.

IMG_5453

A Catedral de São Nicholas é a principal igreja de Liubliana, e também a maior da cidade. Por conta da sua altura, suas duas torres de sinos e sua doma é possível vê-la a partir de diversos pontos da cidade. Esta Catedral fica na Praça Vodnik trg, próxima ao mercado Central e do outro lado da Tromostovje.

Neboticnik, ou “arranha-céu” é um dos prédios mais conhecidos e icônicos de Liubliana. Quando ele foi construído em 1933, Neboticnik era o prédio residencial mais alto da Eslovênia, e o 9˚ prédio mais alto da Europa. Hoje, Neboticnik é um ponto de referência na cidade, mantendo-se como prédio residencial com algumas lojas e escritórios nos andares mais baixos. Além disso, Neboticnik abriga um restaurante e um sky bar no seu topo.

O castelo de Liubliana

O Castelo de Liubliana (Ljubljana Grad), que tem cerca de 900 anos, é a principal atração da cidade, e fica localizado numa colina. Pode-se observar a cidade pela Torre de Observação e pelas muralhas do castelo, ao passo que o castelo abriga diversas exibições, entre elas um museu que conta a história da Eslovênia e um museu de marionetes, além de muitos salões históricos como a Capela de São Jorge.

É fácil subir até o Castelo de Liubliana usando o teleférico, e o ingresso que inclui esta modalidade de transporte custa €13 por adulto, ou €9 para crianças, adolescentes até 18 anos, estudantes, idosos e grupos de mais de 15 pessoas. Há também um ingresso promocional de €31 para famílias com até 2 adultos e pelo menos uma criança/adolescente de até 18 anos. O Castelo fica aberto diariamente, e seu horário de funcionamento varia de acordo com o mês do ano.

Praça da República em Liubliana

A Praça da República (TRG Republike) é o centro político da Eslovênia, uma vez que fica localizado nesta praça o edifício que abriga o Parlamento Esloveno.

IMG_5359

Esta praça foi erguida em 1960, com design do arquiteto Edvard Ravnikar, no local outrora ocupado pelos enormes jardins do Mosteiro Ursuline.

No centro da praça, foi construída uma grande plataforma para facilitar grandes reuniões públicas, e esta mesma plataforma serviu de palco para o anúncio da independência da Eslovênia em 25 de junho de 1991.

Ao seu redor, além do edifício do Parlamento Esloveno, encontra-se o edifício TR3 e os escritórios do Ljubljanska banka, o centro cultural Cankarjev dom, e a loja de departamento Maximarket.

IMG_5356

O principal monumento da praça é o Monumento à Revolução (Spomenik Revolucije), inaugurado em 1975 e idealizado por Drago Tršar.

Metelkova e arte em Liubliana

Os 7 prédios de Metelkova, outrora sede militar do exército do Império Austro-Húngaro e, posteriormente, sede eslovena do Exército Nacional da Iugoslávia, estão ocupados por arte desde o começo da década de 1990.

IMG_5353

O Centro Cultural Autônomo de Metelkova (em eslovênio, Avtonomni kulturni center Metelkova mesto), também conhecido pela sigla AKC, fica no centro da cidade de Liubliana com uma área total de 12.500m² ocupada desde setembro de 1993. A área recebeu esse nome por conta da rua Metelko (em eslovênio, Metelkova ulica) que, por sua vez, homenageia o padre da Igreja Católica Romana Fran Metelko.

A história de Metelkova como um centro de arte começa em 25 de junho de 1991, com a declaração da independência da Croácia e da Eslovênia. Esse data é considerada uma das muitas que marcam o fim da República Socialista Federativa da Iugoslávia. Depois da dissolução da Iugoslávia naquele ano, o Exército Iugoslavo deixou Metelkova, que rapidamente se tornou um brownfield militar com seus quartéis abandonados. (Browfield é um termo usado para definir áreas com potencial de desenvolvimento e que antes eram usadas para fins militares.)

 

 

Em 1991, a Rede de Metelkova, formada por 200 organizações jovens e alternativas, pediu à prefeitura de Ljubljana que permitisse o uso daqueles quartéis para fins pacíficos e criativos. A prefeitura, então, cedeu à Rede de Metelkova a permissão formal de usar a área; entretanto, tais promessas não foram de fato cumpridas, e a prefeitura não queria que a área fosse efetivamente ocupada. Esse papel ambíguo se manteve por muitos anos, até que em 1993 Metelkova passou a ocupar ilegalmente a região, sendo redefinida como uma zona autônoma e auto-organizada em 1995. Desde então, o centro se tornou um lugar de aceitação para as minorias, embora ainda existam ameaças por parte das autoridades municipais e do Estado.

Outro exemplo da ambiguidade das ações do Estado Esloveno e da prefeitura com relação à Rede de Metelkova e à região são os subsídios da administração municipal para a construção de um pequeno abrigo de verão, conhecido como Mala Šola (ou Pequena Escola). Este abrigo, planejado e construído em 2001 por voluntários, foi imediatamente classificado como abusivo. À construção, seguiu-se o pedido de demolição, imediatamente depois de outro escritório municipal denunciá-lo para um órgão governamental. Depois de muitas tentativas frustradas, o prédio foi enfim demolido em 2 de agosto de 2006. Embora haja planos para reconstruí-lo, o projeto não saiu do papel.

Nos anos 2000, novos atores se envolveram na zona autônoma de Metelkova como, por exemplo, a comunidade LGBT, outras organizações não-governamentais e até mesmo a UNESCO. Embora não tenha ajudado Metelkova a receber seu status legal, a área foi reconhecida como Patrimônio Cultural Nacional em 2005.