Feliz ano todo!

2017 foi um ano de muitas mudanças, descobertas e novidades. No dia 2 de janeiro, empacotamos tudo o que tínhamos e colocamos em um container rumo à Armênia, sem grandes certezas do que iríamos encontrar, mas certos de que poderíamos fazer de qualquer lugar do mundo a nossa casa desde que estejamos juntos.

Neste ano, visitei 11 novos países, 10 ao lado do marido, e 1 com os meus pais. Realizamos muitos sonhos pelo mundo: tomamos cervejas locais em Berlim, Belfast e Dublin; comi pastéis de Nata em Porto, Fátima e Lisboa; encontrei Nossa Senhora de Aparecida em Praga, Fátima e no Brasil, e finalmente encontrei Nossa Senhora das Graças na Capela da Medalha Milagrosa em Paris; meus pais vieram nos visitar na Armênia, na primeira viagem internacional deles; fui a Moscou muito mais vezes do que eu poderia imaginar, e também conhecemos São Petersburgo num verão fajuto porque tava bem frio; conheci a sede da Agência Internacional de Energia Atômica em Viena; voltei à Disneyland Paris e fui 2 vezes ao WB Studio Tour – The Making of Harry Potter; estudei na London College of Style e me tornei personal stylist; passamos o Natal em Dubai e finalmente conheci uma cidade que povoava meu imaginário desde que eu era criança.

Descobrimos – e continuamos a descobrir – a Armênia, cheia de encantamentos, história e histórias. Aprendemos que a comida do Cáucaso é algo de maravilhoso nesse mundo, ainda que a gente continue sentindo falta da comida do Brasil.

Confirmei que minha maior saudade do Brasil fica mesmo por conta da água de côco, da goiabada, do Guaraná Antártica, do doce de leite e do jiló, porque o FaceTime é o meu melhor amigo pra matar a saudade da minha mãe e do meu pai, e a gente quase nem sente que estamos separados por meio mundo. E, quando se tem amigos richesse como os meus, não há distância que possa nos separar.

Redescobri minha fé mais uma vez, reforçando minhas crenças diariamente a partir da minha necessidade de buscar Deus pelos meus próprios meios em um país onde há muita fé mas a dificuldade do idioma me impede de participar das celebrações da Igreja Apostólica Armênia. Escolher Deus todos os dias, escolher a Liturgia, entregar tudo nas mãos do Pai: tudo isso me dá a certeza diária de que tudo é do Pai, tudo o que eu tenho vem de Deus, toda a minha vida é abençoada por Ele. Redescobri que agradecer nunca é demais e que, quanto mais eu agradeço, mais motivos eu tenho para agradecer.

E foi por causa dessa luz divina que me ilumina que eu descobri uma nova habilidade: a dublagem. Sim, 2017 foi um ano tão maravilhoso que eu até traduzi e dublei um desenho para o português. “A Turma do Téo” é um projeto que despertou em mim uma alegria tão grande, que eu fiz com tanto carinho, e que eu fico muito feliz de poder dividir com o mundo. Foi daquelas coisas que parece que surgem do nada mas que, porque eu creio em Deus, eu tenho certeza de que Ele tava preparando isso pra mim. Valeu, Deus!

Fui pro Brasil e fiquei 40 dias longe do marido, e compreendi que meu lugar é do ladinho dele, onde quer que seja. De nada adianta ter água de côco pra tomar se eu não tiver o amor da minha vida do meu lado.

Andei na rua com -20ºC e +42ºC, só pra descobrir que prefiro -20ºC. Bem, na verdade, eu prefiro mesmo é que a temperatura fique entre +15ºC e +25ºC, mas, com as roupas adequadas, até que dá pra viver bem no frio.

Pude me dedicar à coisas que eu amo e que passei tanto tempo sem tempo pra aproveitar: escrever mais, ler mais, admirar mais a beleza dos dias, dançar. Aprendi a conviver com minhas cicatrizes, internas e externas. Aprendi a me aceitar, psicológica e fisicamente. Aprendi a cozinhar. Aprendi a relativizar o tempo e a distância. Aprendi a valorizar ainda mais o que eu tenho e as oportunidades que eu tenho. Aprendi que eu não preciso de muito pra ser feliz. Aprendi a agradecer ainda mais por tanto, a agradecer ainda mais por tudo. Aprendi. Aprendi muito.

Por mais que 2017 tenha sido um ano difícil pra todo mundo, eu chego a esse dia 31 de dezembro com um sentimento profundo de gratidão. Pra mim, 2017 foi um ano sensacional. E, pra 2018, eu só peço a Deus que Ele continue tomando conta da minha vida, porque, enquanto eu estou entregue nas mãos Dele, eu sei que está tudo bem.

Em 2017, eu fui feliz o ano todo. E é isso que eu desejo pra 2018: continuar sendo feliz o ano todo ao lado do amor da minha vida!

A partir de amanhã, começa mais um ano inteirinho pra muitas viagens e descobertas, com infinitas bençãos!

Mercado de Natal em Ierevan

Como em muitas outras cidades européias, Ierevan também tem seu mercado de Natal!

Organizado em plena Northern Avenue, o mercado de Natal de Ierevan oferece muitos artigos festivos e também quitutes deliciosos para aquecer os corações e estômagos de todos os que celebram o Natal e o Ano Novo!

Além da decoração de Natal linda que tem tomado conta da cidade, a Northern Avenue abriga diversos stands, entre eles alguns dos cafés locais com opções especiais para a época festiva.

O calendário de festas cristãs aqui na Armênia é um pouco diferente, e o Natal é celebrado por aqui no dia 6 de janeiro! Na verdade, as celebrações começam no dia 31 de dezembro, com o ano novo, e terminam no dia 6 de janeiro com o Natal, totalizando 7 dias de celebrações. Confesso que estou ansiosa pra viver tudo isso pela primeira vez!

Armênia entre os 10 países para visitar em 2018

Chegamos em Ierevan na segunda feira e já tivemos uma excelente notícia sobre este país que tem sido a nossa casa neste ano: os especialistas da Fodor’s, agência de publicações turísticas, incluíram a Armênia entre os 10 países mais interessantes para se visitar em 2018!

IMG_5950
Mãe da Armênia no Parque da Vitória: um dos meus lugares favoritos em Ierevan!

No artigo, lê-se que o pequeno país do Cáucaso é enorme em riqueza histórica e cultural, além de muito hospitaleiro, destacando as montanhas e os vales férteis da Armênia, bem  como os muitos mosteiros e vilas tradicionais. E, é claro, a culinária armênia também foi mencionada, com o devido destaque para os churrascos armênios e a dolma (que, como vocês já sabem, é um dos meus pratos favoritos!).

IMG_3447
Noravank, um dos antigos mosteiros da Armênia

Além disso, o artigo indica que, apesar de seus quase 3000 anos, a capital Ierevan tem uma energia jovem, recheada de bons cafés, wine bars, lojas e restaurantes. Os especialistas da Fodor’s notam que as melhores épocas para visitar a Armênia são a primavera e o outono, períodos nos quais há muitos festivais a céu aberto – e, devo adicionar, as temperaturas são mais agradáveis!

Ocupando a 7ª posição na lista que contempla 52 destinos, há muito o que se ver na Armênia, como vocês tem podido acompanhar aqui no blog! Desde que chegamos aqui, vivemos muitas experiências incríveis, mas ainda não desfrutamos nem da metade do que esse pequeno grande país tem a oferecer. Que venha um ano novo de muitas aventuras!

Game of Trones tour: Winterfell

Estamos na Irlanda do Norte! Chegamos ontem em Belfast e hoje foi dia de imersão total no universo de Game of Thrones, com um tour que durou o dia inteiro e que nos levou a vários cenários da série!

Pra quem não sabe, a série é gravada na sua maioria aqui na Irlanda do Norte, além de algumas locações na Espanha e em Malta. Além das locações externas, a série da HBO é gravada nos estúdios em Belfast. Por esse motivo, a base da equipe é em Belfast, por conta da proximidade com a maioria das locações.

Nós agendamos o nosso tour online com a Game of Thrones Tours e o pacote (transporte e passeios com guia) custa £40 por adulto para o tour WINTERFELL. Saímos de Belfast às 9h e chegamos às 17h30, e nosso guia, Robbie, era muito animado e empolgado com a série, e sabia um monte de coisas sobre os episódios e locações, além de informações turísticas não-relacionadas à Game of Thrones.

7583872080_img_3009
needle, a espada de Arya Stark
img_8470
a espada de Robb Stark, “King in the North!”
img_8471
longclaw, a espada de Jon Snow

Nossa primeira parada foi Inch Abbey, que é um mosteiro do século XII, onde algumas cenas importantes da série foram filmadas, como o momento em que Robb Stark é eleito o Rei do Norte (King in the North!). Foram disponibilizadas capas no melhor estilo Stark e também espadas, machados, escudos e banners da casa Stark para que pudéssemos entrar bem no clima.

De lá, seguimos para Castle Ward Estate, local usado na primeira temporada para filmar principalmente Winterfell. Caminhamos bastante por lá (3km de trilha!) para passarmos por outras locações da série, como o acampamento de Robb Stark, o Campo de Batalha de Baelor, etc.

Almoçamos no The Cuan em Strangford, que é um pub/hotel pertinho de Castle Ward, consequentemente frequentado pelos atores, produtores e crew da série em geral. Eu comi fish & chips, o marido comeu lasanha, e nós provamos a cerveja artesanal Hodor. Dentro do pub, há uma espada de Ned Stark (ice) na parede e, o mais legal, a primeira porta de madeira trabalhada por David Hogg, que produziu 10 portas de madeira, instaladas em lugares espalhados pela Irlanda do Norte relacionados à série.

7583872080_img_3102
local onde os Starks encontraram os filhotes de direwolf

Seguimos então para Tollymore Forest, onde andamos por mais 3km(!) para conhecer um pouco mais dessa floresta que serviu de cenário para vários momentos da série, como o acampamento de Tyrion e Jon a caminho da Muralha, a ponte onde os Starks descobrem a direwolf morta e seus filhotes, e também o local onde foi gravada a primeira cena de toda a série (onde um Patrulheiro da Noite encontra os corpos desmembrados pelos White Walkers).

7583872080_img_3094

Infelizmente, porque o clima não permitiu, nós não pudemos atravessar o Narrow Sea de balsa, entre Portaferry e Strangford, que está incluído nesse tour. Por outro lado, fomos privilegiados pois pudemos ver Winterfell sob neve e que nos fez entrar ainda mais no clima!