Mercado de Natal em Ierevan

Como em muitas outras cidades européias, Ierevan também tem seu mercado de Natal!

Organizado em plena Northern Avenue, o mercado de Natal de Ierevan oferece muitos artigos festivos e também quitutes deliciosos para aquecer os corações e estômagos de todos os que celebram o Natal e o Ano Novo!

Além da decoração de Natal linda que tem tomado conta da cidade, a Northern Avenue abriga diversos stands, entre eles alguns dos cafés locais com opções especiais para a época festiva.

O calendário de festas cristãs aqui na Armênia é um pouco diferente, e o Natal é celebrado por aqui no dia 6 de janeiro! Na verdade, as celebrações começam no dia 31 de dezembro, com o ano novo, e terminam no dia 6 de janeiro com o Natal, totalizando 7 dias de celebrações. Confesso que estou ansiosa pra viver tudo isso pela primeira vez!

Advertisements

Day trip pra Manchester

Aproveitando nossa estadia em Liverpool, decidimos visitar Manchester!

O trem que liga as duas cidades leva cerca de 30min para concluir cada trecho, e o bilhete de ida e volta para um adulto custa £13. Saímos da estação Liverpool Lime Street em direção à Manchester Victoria – ambas localizadas nos centros das respectivas cidades – no trem de 10h21.

Chegando em Manchester, nossa primeira parada foi o National Football Museum, que fica convenientemente em frente à estação de trem. Neste museu, são 3 andares dedicados à história do futebol inglês e também mundial. No 3º andar, há um espaço dedicado à exposições temporárias que, neste momento, exibe artes e memorabilia relacionada ao Pelé! A entrada no museu é gratuita, embora eles aceitem doações; há inclusive um pacote de doações no valor de £6 que dá direito a fotos e experiências interativas exclusivas.

Saímos do museu do futebol em busca de alimento e acabamos escolhendo o restaurante Las Iguanas para almoçar. O ambiente é muito bacana e, no cardápio, são muitas opções de pratos inspirados na culinária mexicana, brasileira e argentina. Comemos dadinhos de queijo de entrada, com gostinho de Brasil. Felipe pediu chilli con carne e eu pedi tacos. Pra sobremesa, experimentamos os churros con dulce de leche.

Depois de almoçarmos com calma, caminhamos tranquilamente pelas ruas, até decidirmos visitar a John Rylands Library, que também tem entrada gratuita. A enorme biblioteca, que agora integra o patrimônio da University of Manchester, foi construída por Victoria Rylands em homenagem ao seu esposo. Atualmente, há uma exibição de textos antigos relacionados à reforma protestante.

Nosso outro destino foi o People’s History Museum. Este museu tem 2 andares dedicados à história de luta do povo inglês para libertar-se do sistema opressor em que viviam, com entrada gratuita e seções interativas. No primeiro andar, a exibição contempla os anos pré-1945 e, no segundo andar, pós-1945.

Paramos para um café e andamos um pouco mais pelo centro da cidade, super movimentado também por conta do mercado de Natal que já acontece ali pertinho, e voltamos para Liverpool no trem de 16h35.

Moscou de metrô

Você sonhou, sonhou, e finalmente marcou sua viagem pra Rússia! Mas você não sabe uma palavra de russo. E agora?!

Calma, estou aqui pra te ajudar. Embora nós tenhamos aprendido um pouquinho de russo por razões óbvias, meu russo ainda é muito insipiente e eu confesso que me sentiria completamente insegura de viajar pra Rússia sozinha. Muito mais do que ter a opção de contratar um guia brasileiro (o que ajuda muito e eu defendo firmemente), você pode ter (alguma) independência em Moscou e se locomover de metrô para conhecer os mais legais pontos turísticos da cidade!

É sabido que o metrô de Moscou é imenso e atende todas as regiões da cidade, mas o completo desconhecimento do idioma pode ser muito intimidante.

IMG_3910.JPG

Graças a Deus, o metrô de Moscou é um dos melhores que já vi, e um dos mais tourist friendly: em todas as estações e vagões podemos ver o mapa inteiro do metrô com as estações transliteradas para o nosso alfabeto, além da linha visual e indicações luminosas de quais estações já se passaram, qual a próxima parada e quais as próximas estações.

A estação Teatralnaya (linha Zamoskvoretskaia), por exemplo, garante acesso fácil ao Teatro Bolshoi, à Praça Vermelha e ao GUM. A estação Lubyianka (linha Socolhnitcheskaia) também fica ali próxima, e facilita a chegada também na loja Dietski Mir com seu mirante. Outra estação que fica na região é a Ploshchad Revoliutsii (linha Arbatsko-Pokrovskaia). Para chegar ao Museu dos Cosmonautas e ao Parque VDNKh, a estação a se usar é a VDNKh (linha Kalujsko-Rijskaia). O acesso ao Parque Gorky é fácil por meio da estação Oktiabrskaia (linha Kolhtsevaia). Para chegar na grande Dom Knigi da Avenida Nova Arbat, que é a minha livraria favorita, pode-se usar as estações Arbatskaya (linha Arbatsko-Pokrovskaia)Alexanderovskii Sad (estação final da linha Filiovskaia) ou ainda Lenin Bibliothek (linha Socolhnitcheskaia), embora a mais próxima seja mesmo a Arbatskaya.

Para usar o metrô, você pode comprar o cartão Troika e carregá-lo nas maquininhas de acordo com sua necessidade. Cada passagem custa 35 rublos (cerca de US$0,70) com o Troika, enquanto os tíquetes avulsos custam 55 rublos (quase US$1). O preço das passagens de ônibus é o mesmo, e também é possível usar o Troika para este meio de transporte. Eu prefiro o metrô porque, além de ser mais rápido e super limpo, as estações são lindíssimas, o que torna o deslocamento um passeio.

 

Armênia, quem é você?

Já estamos na Armênia há quase 7 meses e eu ainda não tinha dedicado um post exclusivamente à história e características deste país! Me dei conta disso quando recebi essa semana a revista Armenia Tourism Magazine que tá cheia de conteúdo bacana. Inspirada pelas matérias que estão publicadas na edição de verão da revista (nº18), resolvi dividir aqui com vocês um pouco do conteúdo que eles publicaram, falar um pouquinho mais das nossas vivências por aqui, e aproveitar pra aprender um pouquinho mais desse lugar tão rico culturalmente!

IMG_5825

  • Território

A área total do país é de 29.743km², referente a 1/10 do tamanho da Armênia Histórica. A Armênia é um país sem acesso ao mar, localizada nas montanhas do Cáucaso Menor, no noroeste do Planalto Armênio da Armênia Histórica. Localizada entre os mares Negro e Cáspio, o país faz fronteira com a Geórgia, o Azerbaijão, o Irã e a Turquia. As fronteiras com Azerbaijão e Turquia são fechadas, embora haja vôos diretos entre Ierevan e Istambul (operados pela Atlas Global).

  • Brasão de Armas

Em 19 de abril de 1922, o brasão de armas da Primeira República da Armênia (1918-1920) foi restaurado. Os autores foram Alexander Tamanyan e Hakob Kodjoyan.

  • Bandeira

A bandeira nacional da Armênia tem três listras horizontais de igual tamanho: vermelho no topo, azul no meio, e laranja. O vermelho simboliza o Planalto Armênio, a luta contínua do povo armênio para sobrevivência e manutenção da fé cristã, e a independência e liberdade da Armênia. O azul simboliza a vontade do povo armênio de viver sob céus de paz. O laranja simboliza o talento criativo e a natureza trabalhadora do povo armênio.

  • Língua

O idioma nacional é o Armênio, mas a maioria da população também fala russo. No interior, pode-se enfrentar alguma dificuldade de comunicação idiomática. Inglês e francês geralmente são as segundas línguas faladas pela população mais jovem, mas as gerações mais antigas são mais conservadoras com relação à idiomas estrangeiros. De todo jeito, se um estrangeiro se aproximar, as pessoas costumam ter boa vontade de entender e ajudar, como já destaquei aqui no blog algumas vezes.

  • Governo

A política da Armênia se desenvolve num quadro de república democrática semi-presidencial, em que o presidente é o Chefe de Estado em um sistema multipartidário. O atual presidente da Armênia é Serzh Sargsyan, e o atual primeiro ministro é Karen Karapetyan.

  • População

De acordo com diversas fontes, o número de armênios no mundo varia entre 6 e 11 milhões, dos quais apenas 1/3 mora na Armênia (cerca de 3 milhões de pessoas).

  • Moeda, câmbio e cartões

A moeda do país chama Dram Armênio, com sigla AMD. Estão em circulação moedas de 10, 50, 100, 200 e 500 Drams, e notas de 1.000, 5.000, 20.000. Dizem que existem notas de 50.000 e 100.000 mas eu nunca vi. Em geral, 1USD equivale a 478AMD, 1EUR equivale a 567AMD, e 1 Rublo equivale a 8,3AMD – o câmbio oscila um pouquinho, mas bem pouquinho mesmo. Quando chegamos, eu me assustava um pouco com tudo custando mais de mil, mas depois habituei que é só o jeito deles, e faltam os centavos. É possível fazer câmbio em diversos lugares da cidade, inclusive nos principais supermercados do centro, o que eu achei muito esquisito quando chegamos, e ainda acho bastante curioso! Praticamente todos os lugares aceitam cartões, mas as vezes o sistema falha e pode demorar muito a funcionar, então eu aprendi que é sempre bom ter drams na carteira.

IMG_1712

  • Ierevan

A capital do país é Ierevan (Yerevan na grafia em inglês), que pode facilmente ser considerada uma das cidades mais seguras do mundo. Podemos andar tarde da noite na rua sem medo, coisa que não é comum na maioria dos países europeus. O centro da cidade de Ierevan não é muito grande, o que facilita a locomoção – mesmo sem um mapa. As opções de transporte em Ierevan são miniônibus, ônibus e táxis, mas é fácil caminhar pela cidade admirando as ruas. Nós, por exemplo, não compramos carro e não temos a menor intenção de comprar um, já que conseguimos fazer quase tudo a pé – só pegamos táxi pra ir aos shoppings e cinemas, e táxi é muito muito barato aqui. As outras 2 grandes cidades da Armênia são Gyumri e Vanadzor. A voltagem no país inteiro é de 220v. A Armênia está no fuso GMT+4 (diferença de +7h pro Brasil, e +6h quando o Brasil está no horário de verão).

  • Clima

O clima da Armênia é continental de montanhas, com longos e frios invernos e verões quentes. Geralmente, as temperaturas em janeiro ficam entre -12ºC e -15ºC, podendo chegar a -30ºC. Neste ano, chegamos algumas vezes a -21ºC. Em julho, a temperatura média nas montanhas é de 10ºC, e de 25ºC nas regiões de planície, mas a verdade é que este mês de julho e agora em agosto estamos sofrendo com temperaturas que jamais baixam dos 30ºC e chegam todos os dias a 40ºC, com clima muito muito seco. A precipitação anual é de 20-80cm, e os topos das montanhas mais altas da Armênia ficam cobertos de neve o ano todo.

  • Topogafia

O terreno é montanhoso, e 90% das montanhas está a mais de 1000m acima do nível do mar, com média de 1800m. O ponto mais alto do país é o Monte Aragats (4095m) e o mais baixo é a margem do rio Debet (380m). O ponto mais alto da região é o símbolo histórico da Armênia, o Monte Ararat (5165m), que está no território da Turquia desde os anos 1920.

  • Comida e Água

Em Ierevan, pode-se tomar água da torneira e também das pequenas fontes (bebedouros) espalhadas pela cidade, chamadas Tsaytaghbyur. As tsaytaghbyur são pedras memoriais únicas, geralmente com 1m de altura, com água pura. Na cidade há muitos restaurantes, com culinária armênia e internacional (chinesa, árabe, georgiana, etc). Os restaurantes aqui são muito mais baratos do que a média das grandes cidades, inclusive quando comparados a Moscou.

  • Compras

O comércio em Ierevan é ótimo. Há 2 grandes shopping centers que abrigam marcas internacionais (Zara, GAP, TopShop, Pandora, Bershka, Parfois, Promod, Steve Madden, Mango, Levi’s, etc). No centro da cidade, as ruas Northern Ave, Mashtots, Abovyan e Tumanyan também são tomadas por lojas locais e internacionais (Burberry, Armani, Zegna, MaxMara, MontBlanc, L’Occitane, etc), bem como lojas multimarcas. Para artigos de casa, gosto principalmente da Matalan, da Basic Center, e da Good’s House. Além destas, muitas lojas vendem lembrancinhas e presentinhos típicos da Armênia, inclusive os famosos conhaques.

O lugar favorito dos turistas para comprar souvenirs é a Vernissage, a feira ao ar livre que fica aqui em frente da nossa casa, pertinho da Praça da República. Aos finais de semana, a Vernissage fica lotada de vendedores oferecendo tapetes feitos à mão, peças em madeira e pedra talhadas, cerâmicas, pinturas, entre outros. O que eu mais gosto na Vernissage, além dos estandes com objetos da época da União Soviética, são os bonequinhos narigudos, que fazem piada carinhosa com essa característica dos armênios. A Vernissage também funciona durante a semana, porém com menos expositores. No verão, há gente o dia inteiro; no inverno, o movimento é naturalmente menor.

  • Religião

Acho que já contei aqui que a religião predominante na Armênia é o Cristianismo, e que a Armênia foi o primeiro país do mundo a adotar o Cristianismo como religião do Estado em 301d.C. 94% da população segue a Igreja Apostólica Armênia.

IMG_1844

  • Khachkars: cruzes de pedra armênias

Se perguntarmos a qualquer armênio qual é o símbolo mais importante do país, a resposta certamente será Khachkars, as cruzes talhadas em pedra. Por todo o país, encontramos muitas delas, e em qualquer lugar onde houver um armênio, será possível achar este símbolo, que é, para eles, um monumento, uma obra de arte, a face da Armênia: os padrões e ornamentos tradicionais das Khachkars refletem a história e o tempo.

Museu de História da Armênia

Ontem aproveitei a companhia do nosso amigo Guilherme que está nos visitando essa semana e fui com ele ao Museu de História da Armênia, que fica na Praça da República, aqui em Ierevan. Já tínhamos passado várias vezes pelo Museu, mas nunca entramos, então aproveitei a oportunidade para fazer uma primeira visita.

Digo primeira visita porque o Museu é muito grande e tem amplo acervo, com cerca de 400.000 peças que datam do período Paleolítico até a proclamação da República da Armênia, há apenas 25 anos! Logo, tenho certeza de que terei que voltar algumas vezes para poder conferir com calma todo o acervo e aprender sempre um pouquinho mais da história desse país que me surpreende a cada dia.

O Museu de História da Armênia foi fundado em 9 de setembro de 1919 e só começou a admitir visitantes quase 2 anos depois, a partir de 20 de agosto de 1921. Por conta do seu amplo acervo, o Museu representa uma figura integral da história e cultura da Armênia desde mais de um milhão de anos atrás até os nossos dias, apresentando os traços raros das relações interculturais da Armênia deste então.

O Museu fica aberto de terças a sábados entre 11h e 18h (última admissão às 17h15), e aos domingos entre 11h e 17h (última admissão às 16h15). O ingresso custa 1000 AMD (cerca de USD2,50) e é possível fazer visitas guiadas em Armênio (3000 AMD), Russo (5000 AMD), Inglês (5000 AMD), Francês (5000 AMD), Alemão (5000 AMD) e Italiano (5000 AMD). A entrada é gratuita para todos os visitantes no último sábado de cada mês. É proibido fotografar dentro do museu, e também não é permitido entrar com mochilas.