Tale as Old as Time Afternoon Tea: o chá da tarde mais encantador de Londres

O chá da tarde é uma tradição britânica que eu, particularmente, adoro. Eu adoro lanchar, adoro uma mesa bem linda com chá e café e delícias para degustar! Como fã confessa do mundo criado por Walt Disney, eu estava doida para experimentar o Tale as Old as Time Afternoon Tea, servido no Town House Kensington. E pra comemorar hoje os 2 anos de blog, vim contar pra vocês como foi essa experiência gastronômica/encantada!

IMG_2315.JPG

A Bela e a Fera” é um dos meus filmes preferidos da Disney, e a Bela sempre foi a princesa com a qual mais me identificava: ela era a única sempre rodeada por livros! O Town House começou a servir este chá inspirado na história de Beauty and the Beast na época do lançamento do filme live action, em março de 2017. Rapidamente, este chá da tarde se tornou um absoluto sucesso, e praticamente impossível de reservar uma mesa sem muita antecedência. A princípio, duraria poucos meses, até que foi sendo prorrogado devido à enorme demanda; se eu não consegui ir em novembro de 2017, graças a Deus já foi prorrogado até pelo menos 31 de dezembro de 2018, e consegui reservar em tempo de ir com os meus pais em setembro passado!

Como o chá da tarde é muito farto (é possível conferir o menu aqui, e agora eles também contam com um menu festivo, que estará disponível entre 1º e 31 de dezembro deste ano), achei por bem reservar um horário no almoço (13h). Meu pai é diabético, então entrei em contato com o Town House por email perguntando se seria possível que somente eu na mesa degustasse o Tale as Old as Time Afternoon Tea, permitindo que tanto meu pai quanto a minha mãe escolhessem pratos do menu à la carte regular e não-temático. Muito prontamente, o restaurante me respondeu que não haveria nenhum problema e que, inclusive, poderiam preparar algo especial para atender às restrições alimentares caso eu quisesse. Tendo estudado bastante o menu, e sabendo do que o meu pai e a minha mãe gostam, respondi agradecendo e dizendo que não seria necessário, que eles ficariam satisfeitos em escolher algo que já fazia parte do cardápio.

Pois bem, chegou o dia, que foi o mesmo dia quando saímos de Paris para Londres de trem, e nos dirigimos para o almoço no Town House. The Kensington Hotel, onde fica o Town House, fica bem pertinho das estações de metrô South Kensington e também Glouscester Road. Chegando lá, nossa mesa já nos esperava, com biscoitinhos de marzipã decorados imitando o vestido de baile da Bela. Eu já comecei a ter palpitações ali.

Ao confirmar com a garçonete que somente eu degustaria o Afternoon Tea, meus pais receberam menus para que escolhessem seus respectivos pratos, muito bem servidos por sinal, mas pequenos diante da fartura que me foi servida!

Eu fiquei muito contente em ter decidido marcar o afternoon tea para as 13h porque era muita comida. MUITA. E eu, embora seja mais do que muito boa de garfo, não costumo aguentar comer grandes quantidades de comida depois das 17h. E é aqui que a gente começa a cantar mentalmente (ou não) a música Be Our Guest, que forneceu a maioria (se não todas) das referências para que esse afternoon tea fosse criado.

Primeiro, foi servido um hors d’oeuvres de entrada: uma mini torta recheada de ragú de carne, um arancini flambado e um mini-soufflé de queijo. Depois, uma seleção de sanduíches, recheados de salmão defumado, frango com cranberry, pepino com cream cheese, e maionese fresca com agrião, acompanhados de baguettes doces do tipo brioche. Quando eu terminei de comer meus sanduíches, me foi oferecido um “refil”, que eu recusei, porque era muita comida! Os sanduíches estavam deliciosos, mas eu seria incapaz de degustar as sobremesas (que já estavam na minha frente, pra me deixar ainda mais doida) caso comesse mais deles.

Para sobremesa, uma gelatina de baunilha com uma pétala de rosa comestível dentro, uma torta com ganache de chocolate no formato do Horloge (que, obviamente, dava pena de comer de tão lindo!), macarons de côco e chocolate, geleia de damasco com chocolate, e a mais esperada de todas: a mousse de chocolate branco “Try the grey stuff“, com direito à etiqueta escrita à mão com caligrafia perfeita.

A louça desse afternoon tea é de enlouquecer: a atenção aos detalhes, passando pela apresentação dos pratos até o sabor impecável, é tudo impressionante. A refeição completa custa £42 por pessoa, e, mesmo com o câmbio desfavorável, pra mim valeu cada centavo. A única coisa que poderia tornar a experiência ainda mais mágica seria a trilha sonora do filme tocando ao fundo! Mas eu compreendo que, como é um restaurante que não se dedica exclusivamente ao Tale as Old as Time Afternoon Tea e recebe um público diverso, talvez isso não seja mesmo possível. Fato é que foi inesquecível!

Advertisements

Uma tarde em Carlisle

No mesmo dia em que visitamos alguns dos lugares históricos da Muralha de Adriano, fomos almoçar e conhecer o centro de Carlisle, cidade que é o principal centro comercial, cultural e industrial do norte do condado de Cumbria. Almoçamos no Old Bank, restaurante bem aconchegante que fica bem pertinho do Castelo de Carlisle.

A história antiga de Carlisle é marcada pela sua condição como assentamento Romano, fundado para servir aos fortes da Muralha de Adriano. Durante a Idade Média, por conta da sua proximidade ao Reino da Escócia, Carlisle se tornou uma importante fortaleza militar.

IMG_2862
Carlisle Castle

O Castelo de Carlisle foi construído em 1092 por William Rufus e serviu de prisão para Maria, Rainha dos Escoceses. Hoje, o Castelo abriga o Regimento do Duque de Lancaster e o Museu do Regimento de Fronteira (Border Regiment Museum). No começo do século XII, o Rei Henrique I permitiu a fundação de um monastério (priory) em Carlisle. A vila passou a ser cidade quando a diocese foi formada em 1133, e o monastério passou a ser a Catedral de Carlisle.

IMG_8089
Catedral de Carlisle

Quando estávamos voltando para nossa pousada em Lanercost, paramos para lanchar no Lanercost Priory Tea Room, um lugarzinho super fofo com uma seleção de delícias.

No dia seguinte, seguiríamos viagem para a Escócia!

Lanercost Equestrian & Country Accommodation

Era uma vez um lugarzinho no meio do nada, com sabor de chocolate e cheiro de terra molhada…

Imaginou um lugar assim? Pois ele existe: a Lanercost Equestrian & Country Accommodation é um cantinho idílico no condado de Cumbria, ao norte da Inglaterra, refúgio para os exploradores da Muralha de Adriano.

This slideshow requires JavaScript.

Ainda vou fazer um post sobre todos os hotéis desse tour pelo Reino Unido + Irlanda, mas essa casinha aconchegante, com atenção aos mínimos detalhes, merecia um post especial. O bed & breakfast tem poucos quartos, e uma área comum com uma sala de estar com TV e diversos filmes à disposição e a sala de refeições, onde são servidos o café da manhã (incluso na diária) e o jantar (pago à parte). Também estão disponíveis para os hóspedes água (tap water), chá e biscoitos, e é possível lavar roupas por apenas £6 (cada máquina fully loaded).

Deborah, a dona da pousada, é chefe de cozinha, e prepara cada coisa mais maravilhosa do que a outra! Eu confesso que nem queria ir embora pra poder continuar comendo todas aquelas coisas deliciosas!

IMG_8132

No café da manhã, opções de croissants, pain au chocolat, pães, geléias, bacon <3, queijos e frios, iogurte, frutas, sucos e café, é claro.

No jantar do primeiro dia, escolhemos opções do cardápio: frango ao curry pra mim e pasta aos 4 queijos para o marido, acompanhados de salada e vinho tinto. O que nós não imaginávamos era que seria tanta comida!

IMG_8076

Eu e o marido não somos de comer muito à noite e, para o jantar do segundo dia, a Deborah muito gentilmente ofereceu preparar o que quiséssemos, mesmo que não estivesse no cardápio. Ela disse que poderia preparar hambúrguer caseiro pra gente, e também estava delicioso, acompanhado de batatas fritas, salada e ketchup caseiro.

IMG_8125

Só de ver estas fotos e lembrar dessas refeições eu fico salivando! Lá na Lanercost Equestrian & Country Accommodation, há tudo o que pode-se precisar no meio de uma viagem: desde adaptadores de tomadas até snacks como barrinhas de cereais e biscoitos com preços muito razoáveis. Pelo tamanho das refeições servidas, os pratos eram até muito baratos! Do mesmo modo, vinhos, cervejas, refrigerantes e água tinham preços justíssimos. Era um alívio podermos comer no próprio B&B, porque as estradas nessa região são bem estreitas, não são duplicadas, e são pouco iluminadas – e o bônus foi degustar pratos deliciosos!

O que mais nos encantou nesse B&B era o cuidado com os mínimos detalhes, desde a decoração até o atendimento super personalizado. O quarto em que ficamos era muito amplo, com um banheiro enorme, e a casa era toda muito limpa. Nós nos sentimos, verdadeiramente, em casa.

Magical Mystery Tour em Liverpool

Ainda tem tanta coisa pra contar sobre as últimas férias que eu nem acredito que não contei aqui sobre o Magical Mystery Tour que fizemos em Liverpool!

IMG_7998

Como já contei por aqui, passamos alguns dias na cidade dos Beatles, e é claro que não poderíamos deixar de fazer o famoso Magical Mystery Tour, organizado pelo Cavern Club. O tour começa no Albert Dock, onde há um escritório para compra de bilhetes e/ou souvenires dos Beatles. Os bilhetes também podem ser comprados no Cavern Club da Mathew Street, ou mesmo online. O tour começava às 11h, e nós optamos por chegar cedo lá no Albert Dock e comprar os bilhetes no escritório mesmo. O bilhete individual custa £18.95. É importante checar os horários dos tours, porque eles podem mudar.

O passeio, que dura aproximadamente 2h, nos leva pelos subúrbios de Liverpool, e podemos ver a casa onde Ringo passou sua infância, o lugar onde George nasceu, St Peter’s Church Hall (onde John e Paul se encontraram pela primeira vez), a casa onde John passou sua infância, as escolas e faculdades onde os Fab4 estudaram, a casa onde Paul passou sua infância, Penny Lane e Strawberry Field, além de outros lugares relacionados à história dos Beatles. O tour termina no Cavern Club e o bilhete inclui a vista ao lendário pub no mesmo dia (exceto em dias de shows/eventos especiais), bem como um souvenir que pode ser resgatado por lá.

No dia em que fizemos o tour, estava um frio de rachar em Liverpool, mas o céu estava muito azul, o que garantiu um passeio por Penny Lane “beneath the blue suburban skies“.

Pessoalmente, eu adorei o Magical Mystery Tour! Achei a experiência muito legal, e é muito interessante passear pelos subúrbios de Liverpool ouvindo as mais diversas histórias sobre os Beatles, ao som das músicas do Fab4. Vale notar que as casas onde John Lennon e Paul McCartney passaram suas infâncias podem ser visitadas pelo público entre os meses de março e outubro, em datas selecionadas. Estas visitas são organizadas pelo National Trust e é altamente recomendável agendar com antecedência pelo site oficial. Tais visitas não estão incluídas no Magical Mystery Tour; e, quando nós estávamos em Liverpool, o período de visitação de 2017 já tinha se encerrado.

Ao final do nosso passeio beatlemaníaco, fomos almoçar no Bill’s do Liverpool ONE e acabamos aproveitando pra ir ao cinema também, já que pegaríamos a estrada no dia seguinte rumo ao countryside inglês!

Onde fazer compras em Liverpool?

É sabido que Londres é uma das principais capitais da moda do mundo, e que é muito bom fazer compras pela Oxford Street, Regent Street, Westfield Stratford City (um dos maiores shoppings de toda a Europa), Covent Garden, entre outros. Mas Liverpool também tem muito a oferecer pra quem quer fazer umas comprinhas!

Church St é, tradicionalmente, o coração do centro de compras de Liverpool, e todo o resto se expandiu historicamente a partir dali. As principais lojas estão concentradas nas ruas Church St, Lord St e Paradise St, e é possível encontrar por ali River Island, Forever 21, Primark, uma Boots enorme (quem ama uma farmácia bate aqui), entre outras. O shopping Liverpool ONE, que tem um conceito bem amplo e aberto, também ocupa uma parte da Paradise St com suas lojas.

Liverpool ONE é um shopping bem diferente, muito amplo e aberto, e que se espalha por algumas ruas: a Hanover Street, Peter’s Lane (que liga a Church Street ao novo distrito de compras), New Manesty’s Lane, Paradise Street e South John Street. É na South John Street que o conceito de “shopping center” fica mais claro, com 2 andares concentrados por ali. The Park é o terraço de lazer do shopping, que abriga um complexo de cinemas ODEON, com 14 salas de projeção, além de algumas lanchonetes e restaurantes, como Wagamama, Yo Sushi!, Café Rouge, etc. No Liverpool ONE também encontramos Starbucks, EAT, Pret a Manger, Bill’s, entre outros.

As grandes lojas de departamento John Lewis e Debenhams estão por lá, além de uma HMV (loja de CDs, livros e filmes) e a enorme loja da Apple. Por lá, também há Zara, Hollister, Accessorize, Waterstones, All Saints, GAP, Cath Kidston, Urban Outfitters, Michael Kors, Reiss, Ted Baker, entre tantas outras. Neste complexo de compras e entretenimento, também fica um hotel Hilton, pra quem quiser ficar hospedado coladinho no Albert Dock.

IMG_8033
almoço no Bill’s: um hambúrguer de respeito!

Passamos diversas vezes por este shopping enquanto estávamos em Liverpool, porque ele conecta os caminhos da cidade ao Albert Dock. No nosso último dia inteiro na cidade dos Beatles, aproveitamos para conhecer o cinema Odeon, e assistimos Justice League por lá. Tomei muita água de côco comprada no Pret a Manger de lá (pra quem não sabe, eu sou viciada em água de côco), comprei meus earmuffs na Accessorize pra proteger meus ouvidos da ventania, e também almoçamos no Bill’s, que é uma rede de restaurantes inglesa com cardápio gostoso e preço justo.

Vale lembrar que visitantes não-residentes na União Européia tem direito a restituição de imposto nas suas compras. Para isso, é preciso informar, no momento da compra, que deseja “shop tax free” e apresentar seu passaporte. No Reino Unido, a restituição dos impostos é de cerca de 20% do valor da compra e, se não me falha a memória, compras acima de £50 já são elegíveis para restituição de impostos. A restituição pode ser feita no cartão de crédito ou em espécie e, pra isso, é importante obter o carimbo da alfândega no dia em que estiver saindo da União Européia e, depois, passar no guichê de restituição.